Terça-feira, 2 de Julho de 2019

O Mar dos olhos das Portuguesas

 

66339646_1908552269244342_6906710571958140928_n.jp

 

 

 

Há mulheres que trazem o mar nos olhos
Não pela cor
Mas pela vastidão da alma

 

 

E trazem a poesia nos dedos e nos sorrisos
Ficam para além do tempo
Como se a maré nunca as levasse
Da praia onde foram felizes

 

 

Há mulheres que trazem o mar nos olhos
pela grandeza da imensidão da alma
pelo infinito modo como abarcam as coisas e os homens...
Há mulheres que são maré em noites de tardes...
e calma......

 

ACCB


___________________________

Há 10 anos neste dia eu escrevia isto
Escrevia-o pela coincidência do dia da morte de Sophia com o dia do nascimento da minha filha e porque há mulheres, como as mulheres portuguesas, que trazem há séculos o Mar nos olhos,.... pela coragem,... pela luta,... pela imaginação e por conseguirem ver mais além da linha do horizonte... e por recomeçarem sempre e sempre e sempre....

A mulher portuguesa foi sempre corajosa, resistente, lutadora e paciente mesmo quando perdia os seus filhos numa guerra infrutífera, mesmo quando muitos séculos antes os perdeu para o mar que os levou em busca de novos mares e novas gentes.

Portugal é um país cheio de mulheres com o Mar nos olhos...
Não pela cor mas pela espera....
Não pelas lágrimas mas pela coragem....
Não pela observação passiva mas pela observação esperançada no amanhã... pela força do recomeçar sempre...

É por isso que quando muitas de nós morrermos, havemos de voltar para buscar os momentos que não vivemos junto ao mar como dizia Sophia...

Portugal é um País de gente que é Mar

Há quem chegue a a garantir que Sophia escreveu o poema no Miradouro da Graça, na capital portuguesa, como relata o Público. Tudo porque a poeta ia com frequência ao dito Miradouro em busca de “inspiração para os seus poemas” e terá sido numa dessas visitas que Sophia escreveu o poema que, afinal, não lhe pertence.

Não foi..... foi escrito no dia 9 de julho de 2009 entre folhas de processos, num repente, no ecrã de um computador, .... assim... de repente como quem precisa de mar e desce à praia para voltar e recomeçar sempre.....
Foi escrito por alguém que um dia, quando morrer voltará para buscar os momentos junto ao mar como se a maré nunca a levasse da praia/ lugar/ família/ momentos em que foi feliz.

ACCB

escrito no papiro por ACCB às 02:47
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

De Perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

últimos papiros

...

Amanhã

Folhas

Carta de Jorge de Sena

Joker

Em linha recta....

( Ou..... saudades....)

A liberdade de ter direit...

Affair

Noite de Verão 

Amigas

Bullying Digital

Não chuviscou

Pode ser.......

O Mar dos olhos das Portu...

Então queres ser escritor...

Hamadríade

Receita de Mulher

De Passagem

Engolir o Universo ( Frac...

Tons

Moçambique

Lido por aí

Agora é no Porto Venha d...

Xiuu

3-6-2019

Sai um livro para a mesa ...

Naquele tempo

MÃE, EU QUERO IR-ME EMBOR...

Há sempre alguém que resi...

As pessoas antigas

Mulheres com o mar nos ol...

17Maio2019-78anos

Good night

traço_________________

Estrela da tarde

Ler Devagar.....

segunda feira

Às vezes é preciso

Always Remember Us This W...

Japan

Às seis da tarde

Devia ...........

EU SEI, MAS NÃO DEVIA

Viu este filme? Veja

A las 5 de la tarde

Iremos Juntos Sozinhos pe...

SÊ PACIENTE; ESPERA

Se minto....

É p'rá manhã

Outros Papiros

licensecreativecommons

Licença Creative Commons
A obra Cleopatramoon de Cleopatramoon Blogue foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Partilha nos Mesmos Termos 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em cleopatramoon.blogs.sapo.pt.

favoritos

A minha coisa preferida d...

Design no escuro

Eu sou a tempestade

Desiderata

Choveu

Pássaros

Aquele traço de escrita

Pai

Amanhã Hoje é dia da Cria...

Dezembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

subscrever feeds