Sexta-feira, 2 de Dezembro de 2022

Aves e Palavras

 
 
 

313438690_432109269105397_3466427520996311730_n.jp

Há pequenas aves que têm raízes nas palavras,
essas palavras que não ficam arrumadas com decência
na literatura,
palavras de amantes sem amor, gente que sofre
e a quem falta o ar quando faltam as palavras.
 
Quando digo o teu nome há uma ave que levanta voo
como se tivesse nascido o dia e uma brisa
encarcerada nas amêndoas se soltasse para a impelir
para o mais frio, para o mais alto, para o mais azul.
Quando volto para casa o teu nome vai comigo
e ao mesmo tempo espera-me já
numa casa construída com dois nomes,
como se tivesse duas frentes,
uma para a montanha e outra para o mar.
 
Por vezes dou-te o meu nome e fico com o teu,
espreito então pelas janelas de onde
se vêem coisas que nunca antes tinha visto,
coisas que adivinhava mas que não sabia,
coisas que sempre soube mas que nunca quis olhar.
Nessas alturas o meu nome é o teu olhar,
e os meus olhos são justamente a pronúncia do
teu nome que se diz com um pequeno brilho molhado,
um som pequeno como um roçagar de asas
dessas aves que constroem o ninho na folhagem da fala
e criam raízes fundas nas palavras vulgares
que os vulgares amantes engrandecem
quando falam de amor.


JOAQUIM PESSOA, in GUARDAR O FOGO (Edições Esgotadas, 2013)
 
 
escrito no papiro por ACCB às 11:58
link | Escreva no Papiro | juntar aos escribas (1)

De Perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

últimos papiros

A Tristeza

Ser diferente

As Fotografias

LER...é o quê?

a imagem e a ideia

A vocação da natureza:

Os textos

As datas

Paraíso..............

Rimas por aí

Tempo de Bifurcação

As pessoas ...

Passei a Fronteira

Os Ombros Suportam o Mund...

Carta

Necrológio dos Desiludido...

Joaquim Pessoa 17 Abril 2...

Até eu me estranho

Fotografia

Horários tardios

O Vestido

Poderia ter escrito

Sorte

CV

Frases

Os livros

O fotógrafo

Tratado geral das grandez...

Sonhos

Poema Em Linha Reta

NOTA AO ACASO

Ter Tempo

Textos estranhíssimos

Aves e Palavras

Farias 98 no dia da morte...

30 Novembro

Mundialmente falando

NÓS

CRÓNICA

DESOBEDIÊNCIA 11.11.22

Equilíbrio

A Invenção do Amor

O Mar dos meus Olhos

Escritora Serei?

Palavras para quê?

Agustina Bessa-Luís

Regressemos.................

12.10.22

A vida em prémio Nobel

Outono e Setembro

Outros Papiros

licensecreativecommons

Licença Creative Commons
A obra Cleopatramoon de Cleopatramoon Blogue foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Partilha nos Mesmos Termos 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em cleopatramoon.blogs.sapo.pt.

favoritos

No dia 11.11.2016 - 58 an...

Será que não aprendemos n...

...escrever...

BOM DIA!

Uma história com 50 anos

Como se chorar fizesse Ju...

Design no escuro

imperdível de Ferrante

Here I go again

A minha coisa preferida d...

Setembro 2023

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

subscrever feeds