Domingo, 6 de Novembro de 2022

O Mar dos meus Olhos

 

314435085_5063467173752820_2490999168040660619_n.j

( Foto de ACCB)
 
 
Porto, 6 de Novembro 1919
Lisboa, 11 Novembro 1958
 
Cruzaram-se os nossos nomes nos astros e nas letras Muitos anos depois de tudo ter acontecido confundiram-nos o traço.
Almas de mulheres são sempre confundidas e todas trazem o mar nos olhos, como também traz, a minha filha que nasceu no dia do aniversário da tua morte.
 
 
39 anos nos podiam separar, mas não, 39 anos unem as mulheres, porque todo o tempo é tempo de mulheres, e são os poetas que fazem a história, acreditam nas mudanças, forçam as interrogações e arranjam numa nesga de tempo o tempo para ver o Mar.
É sempre o Mar Sophia, o teu o meu, o delas,...o nosso Mar.
 
O Mar une a fixidez das terras, o verde das paisagens, o deserto dos caminhos, o Mar vive nos olhos dos que sonham, dos que resistem, dos que têm fome e sede de infinito, dos que percebem apenas da simplicidade das coisas.
As almas nascem em tempos diferentes mas todas vão desaguar ao Mar ... .
 
 
É o Mar dos Meus olhos, dos teus, dos delas... dos nossos olhos, O mar das mulheres que não desistem ainda que o infinito esteja límpido e vazio, ainda que ninguém o saiba ler, ainda que o soldadinho não volte, ainda que se levante temporal, .... há sempre alguém que resiste e não desiste de ser Mar, e há mulheres que trazem o Mar nos Olhos....
 
Não pela cor
Mas pela vastidão da alma
E trazem a poesia nos dedos e nos sorrisos
Ficam para além do tempo
Como se a maré nunca as levasse
Da praia onde foram felizes
Há mulheres que trazem o mar nos olhos
pela grandeza da imensidão da alma
pelo infinito modo como abarcam as coisas e os homens...
Há mulheres que são maré em noites de tardes...
e calma.
 
ACCBO 
escrito no papiro por ACCB às 23:24
link | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

De Perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

últimos papiros

Textos estranhíssimos

Aves e Palavras

Farias 98 no dia da morte...

30 Novembro

Mundialmente falando

NÓS

CRÓNICA

DESOBEDIÊNCIA 11.11.22

Equilíbrio

A Invenção do Amor

O Mar dos meus Olhos

Escritora Serei?

Palavras para quê?

Agustina Bessa-Luís

Regressemos.................

12.10.22

A vida em prémio Nobel

Outono e Setembro

God Save the Queen

Amiga

Muezim

Sísifo

Poesia

Laco di Como...

Ser Juiz

10.08...............

TOP GUN

3 de la tarde

Tarde de trovoada Feriado...

Engolir o Universo

A Justiça

ÀS VEZES É PRECISO

Palavras Interditas

Eugénio de Andrade

Lar

Tudo vem.......

demora-te... vai....

A minha Tática

Se..........

Anel

......trago todos os chei...

Ah, abram-me outra realid...

Bom e Expressivo

A fronteira.......

Receita para escrever um ...

À cause de 1 post da Filo...

Que quereis?

Acima da Lei

Sem mim

Abril de 2022- 49ª Edição...

Outros Papiros

licensecreativecommons

Licença Creative Commons
A obra Cleopatramoon de Cleopatramoon Blogue foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Partilha nos Mesmos Termos 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em cleopatramoon.blogs.sapo.pt.

favoritos

No dia 11.11.2016 - 58 an...

Será que não aprendemos n...

...escrever...

BOM DIA!

Uma história com 50 anos

Como se chorar fizesse Ju...

Design no escuro

imperdível de Ferrante

Here I go again

A minha coisa preferida d...

Dezembro 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

subscrever feeds