Segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2017

Pássaros

 

 

 

Os pássaros nascem na ponta das árvores
As árvores que eu vejo em vez de fruto dão pássaros
Os pássaros são o fruto mais vivo das árvores
Os pássaros começam onde as árvores acabam
Os pássaros fazem cantar as árvores
Ao chegar aos pássaros as árvores engrossam
movimentam-se
deixam o reino vegetal para passar a pertencer ao
reino animal
Como pássaros poisam as folhas na terra
quando o outono desce veladamente sobre os campos
Gostaria de dizer que os pássaros emanam das árvores
mas deixo essa forma de dizer ao romancista
é complicada e não se dá bem na poesia
não foi ainda isolada da filosofia
Eu amo as árvores principalmente as que dão pássaros
Quem é que lá os pendura nos ramos?
De quem é a mão a inúmera mão?
Eu passo e muda-se-me o coração
 Ruy belo

escrito no papiro por ACCB às 23:48
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas (1)
Quinta-feira, 16 de Fevereiro de 2017

Amigo não é nada disso

a·mi·go
(latim amicus, -i)
adjectivo e substantivo masculino
Que ou quem sente amizade por ou está ligado por uma afeição recíproca a. = COMPANHEIRO ≠ INIMIGO
Que ou quem está em boas relações com outrem. ≠ INIMIGO
Que ou quem se interessa por algo ou é defensor de algosubstantivo masculino
Pessoa que segue um partido ou uma facção.
Forma de tratamento cordial
adjectivo
Que inspira simpatia, amizade ou confiança. = AMIGÁVEL, AMISTOSO, RECONFORTANTE, SIMPÁTICO
Que mantém relações diplomáticas amistosas (ex.: países amigos).
Que ajuda ou favorece. = FAVORÁVEL, PROPÍCIO ≠ CONTRÁRIO
"amigo", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/amigo [consultado em 16-02-2014].
_________________

 

 

Amigo não é nada disso


A gente só sabe o que significa amigo quando se abre um buraco dentro do peito porque alguém que conhecemos está mal, entre a vida e a morte.
Aquela sensação de nada, de vácuo que puxa para dentro e dá uma tontura súbita, que deixa a boca seca e sem espaço para palavras ou sons entre a lingua e o palato, como se toda a saliva subisse aos olhos e turvasse a visão.
Amigo é aquela sensação de medo de perder quem ainda tem caminho para fazer connosco.

Como se não se pudesse caminhar sem a certeza daquela presença ainda que distante ou lá longe , não interessa onde, mas presente.

É a sensação de não, não é a hora, ou de - essas coisas são o que têm de ser mas, esta não é a tua hora. A hora de tu ires sem dizer nada e nós ficarmos aqui sem ti. Deixa-te de merdas, que mania de dares nas vistas! Desiste desse sobressalto, não temos mais espaço para encolher o coração a ponto de não sabermos se rezamos, damos as mãos ou passamos umas horas abraçados como se fosse a ti que o fazemos.

Amigo é esta forma cristalina da Cristina , escrever e rever momentos de amigos; aquela palavrão forte e masculino que o Francisco Bruto da Costa soltou quando soube que te deste finalmente ao trabalho de visitar um hospital, assim pela calada e sem avisares; amigo é a mensagem urgente da Elsa , da Júlia , no meu telemóvel e a Irene lá longe a encontrar flores no deserto .
Amigo é a Ni que quer como eu escrever um livro contigo e de cuja edição para castigo hás-de encarrregar-te. Amigo é a Dulce João que pergunta por ti , porque pensa que já podes dizer-nos alguma coisa.

Amigo é isso, ... e eu sei lá que mais... mas principalmente aquele buraco no peito feito de vácuo, lacunas legislativas, sopro e medo.


Despacha-te. Estamos por aqui sem saber se rezamos, escrevemos, falamos uns com os outros ou aguardamos simplesmente que te rias de nós por sermos assim,... sem jeito e saudosos da tua presença amiga.
Amigo é esta falta de tempo para o tratamento por você e passas desde já a ser Tu.
ACCB ( Foi como foi há 3 anos - 16 de Fevereiro de 2014 )

escrito no papiro por ACCB às 15:02
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas
Quinta-feira, 9 de Fevereiro de 2017

Filhos.....

 

 

 

 

Filhos.... mas se não tê-los,... como sabê-los?
Senta te aí.
Como dizer te que não tem nada que ver com isso? A gente prolonga se através deles e se partem levam nos tudo,... com eles.
Não te sei dizer... é como quando nascem... não há palavras. É amor à primeira vista, uma paixão de alma de que não há cor para definir ... Não há adjectivo que superlativo ou comparativo defina o sentir.
Se partem...também é assim.
Confusão de sentir ... Um vazio... sem cor ...sem som...definitivo. Mortal.
Mas se não tê-los (sabes?), é como diz o poeta: "como sabê los"?!
Senta te aí é não digas nada. Pensa que o silêncio fala melhor nestas situações.
Pensa assim:
É como quando são adolescentes e barafustamos com regras barulhentas.... Eles não ouvem.
Como quando vão de viagem e te calas ao lado deles à espera do avião. Partias com eles... mas vão felizes sozinhos e esperas que regressem felizes. Essa é a tua felicidade, o reencontro e o brilho nos olhos deles.
Senta te aí....
Não há palavras, nem cor, nem adjectivo superlativo ou comparativo.
Cada partida é diferente. Umas têm regresso outras aguardam te num tempo sem tempo.
Senta te aí.

 

 

 ACCB

escrito no papiro por ACCB às 23:10
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas
Domingo, 5 de Fevereiro de 2017

Obama

 

 

escrito no papiro por ACCB às 01:31
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

De Perfil

Sobre mim

Sou alguém que escreve por gostar de escrever. Quem escreve não pode censurar o que cria e não pode pensar que alguém o fará. Mesmo que o pense não pode deixar que esse limite o condicione. Senão: Nada feito. Como dizia Alves Redol “ A diferença entre um escritor e um aprendiz, ou um medíocre, é que naquele nunca a paixão se faz retórica.” online

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

últimos papiros

Dois Epigramas

Partimos cada dia...........

Dia 11.11.2017

A rectidão das linhas

Para ser Perfeito

Miró

Caminhos

Paris , o pintor de rua e...

O temporal esta noite.......

Para ti

Engolir o Universo

Para o raio que os partis...

Eu sou a tempestade

fotos antigas a 3 de Junh...

Depus a Máscara

Fundamento

Berlim

A cadeira

Empatias

ESPLANADA

Pai

Aquele traço de escrita

Pássaros

Amigo não é nada disso

Filhos.....

Obama

A propósito de Trump

Choveu

Desiderata

8 de janeiro 2014 9 Jane...

Um texto que dá que pensa...

Para Fazer o Retrato de u...

Poema pouco original do m...

Poema de Jenny Londoño

Tons de escrita

Super Lua

No dia 11.11.2016 - 58 an...

10.11.2016

"May be ...... the price ...

Não peças a quem pediu

Noite....

....contemplação....

Como é um alentejano?

Que se dane a regra e o p...

Sílaba súbita

É nos olhos....

Papéis velhos...

Papel em branco.....

. A escrever qualquer coi...

Linhas...

Outros Papiros

licensecreativecommons

Licença Creative Commons
A obra Cleopatramoon de Cleopatramoon Blogue foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Partilha nos Mesmos Termos 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em cleopatramoon.blogs.sapo.pt.

favoritos

Eu sou a tempestade

Desiderata

Choveu

Pássaros

Aquele traço de escrita

Pai

Amanhã Hoje é dia da Cria...

Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

subscrever feeds