Terça-feira, 29 de Setembro de 2009

O Presidente as suas Questões e o seu Silêncio

 

 

 

 

VULNERABILIDADES

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA
 

SUPERIOR INTERESSE PESSOAL ABAIXO
DOS SUPERIORES INTERESSES DE PORTUGAL

 

PARTILHAR A INTERPRETAÇÃO
A PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA  COMO ORGÃO UNIPESSOAL

 

AS ELEIÇÕES E O SILÊNCIO

 O GOVERNO E AS EXPLICAÇÕES A DAR OU NÃO

  A HONESTIDADE DE UM PRESIDENTE

escrito no papiro por ACCB às 22:06
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (3) | juntar aos escribas

Sintra.... e sonho

 

___________

 

Almoço pela hora do meio dia logo ali em S. Pedro. Já Sintra surge ao fim da IC19 quando o palácio me sorri lá no alto.

Há no ar o aroma antigo a princesas  mouras e encantos que nunca se perdem pelos bosques.

O dia está quente, mas o verde é tanto que a frescura da serra jorra de uma pequena bica que, cantando vai arrefecendo o ambiente.

Fala-se de cumplicidades velhas e novas e silêncios  a guardar em caixinhas de tesouros.

 

Café? Tomamos lá em cima, em Seteais onde o ambiente bucólico convida a escutar a serra e os seus segredos.

Na vila, os turistas e os transeuntes invadem a arquitectura e desfeiam a paisagem.

Há que fugir da realidade cortante que abafa a imaginação.

 

Lá, onde um piano fica calado para dar lugar à  voz dos sonhos escondidos , quem sabe de outras vidas, o verde é tanto que deixa ao céu uma pequena nesga de sol  azul e uma fatia de tarte de maçã por sobremesa.

 

Volta-se, logo ali, ao fim da conversa que ficou por completar (porque a amizade nunca tem fim), pelo caminho que tem regresso.

No seu limbo de princesa moura, Sintra aguarda paciente que lhe entendam os segredos e nunca lhos desvendem.

 

__________

 

ACCB

 

escrito no papiro por ACCB às 01:21
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (4) | juntar aos escribas
Segunda-feira, 28 de Setembro de 2009

Lobo Antunes no Teatro São Luiz

 

O novo romance de António Lobo Antunes, Que Cavalos São Aqueles Que Fazem Sombra no Mar? (Dom Quixote), será apresentado por Cristina Robalo Cordeiro, vice-reitora da Universidade de Coimbra, no dia 22 de Outubro, às 18h30, no Jardim de Inverno do Teatro São Luiz, em Lisboa.

dq-ala

 

tags:
escrito no papiro por ACCB às 23:27
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

As praxes são violência permitida

 

 

«O Tribunal considerou provado que nunca a ré (universidade) teve algum controlo efectivo sobre esse tipo de praxes violentas e humilhantes. Não temos notícia que alguma vez tenha proibido a violência mencionada, aliás os factos apurados mostram a ausência de intervenção»,

escrito no papiro por ACCB às 08:11
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (18) | juntar aos escribas

I've Been Thinking About You

escrito no papiro por ACCB às 02:02
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas
Domingo, 27 de Setembro de 2009

Se......

______________

 

 

 

 

 

Descobri AQUI

O autor é Rudyard Kipling, o mesmo que escreveu o conto original Mogli, o Menino da Selva, depois reinterpretado no desenho animado da Disney.

___________________

SE

Se és capaz de manter tua calma, quando,
todo mundo ao redor já a perdeu e te culpa.
De crer em ti quando estão todos duvidando,
e para esses no entanto achar uma desculpa.

Se és capaz de esperar sem te desesperares,
ou, enganado, não mentir ao mentiroso,
Ou, sendo odiado, sempre ao ódio te esquivares,
e não parecer bom demais, nem pretensioso.

Se és capaz de pensar - sem que a isso só te atires,
de sonhar - sem fazer dos sonhos teus senhores.
Se, encontrando a Desgraça e o Triunfo, conseguires,
tratar da mesma forma a esses dois impostores.

Se és capaz de sofrer a dor de ver mudadas,
em armadilhas as verdades que disseste
E as coisas, por que deste a vida estraçalhadas,
e refazê-las com o bem pouco que te reste.

Se és capaz de arriscar numa única parada,
tudo quanto ganhaste em toda a tua vida.
E perder e, ao perder, sem nunca dizer nada,
resignado, tornar ao ponto de partida.

De forçar coração, nervos, músculos, tudo,
a dar seja o que for que neles ainda existe.
E a persistir assim quando, exausto, contudo,
resta a vontade em ti, que ainda te ordena: Persiste!

Se és capaz de, entre a plebe, não te corromperes,
e, entre Reis, não perder a naturalidade.
E de amigos, quer bons, quer maus, te defenderes,
se a todos podes ser de alguma utilidade.

Se és capaz de dar, segundo por segundo,
ao minuto fatal todo valor e brilho.
Tua é a Terra com tudo o que existe no mundo,
e - o que ainda é muito mais - és um Homem, meu filho!


Rudyard Kipling
Tradução de Guilherme de Almeida


Original Inglês
IF
If you can keep your head when all about you
Are losing theirs and blaming it on you,
If you can trust yourself when all men doubt you
But make allowance for their doubting too,
If you can wait and not be tired by waiting,
Or being lied about, don't deal in lies,
Or being hated, don't give way to hating,
And yet don't look too good, nor talk too wise:

If you can dream--and not make dreams your master,
If you can think--and not make thoughts your aim;
If you can meet with Triumph and Disaster
And treat those two impostors just the same;
If you can bear to hear the truth you've spoken
Twisted by knaves to make a trap for fools,
Or watch the things you gave your life to, broken,
And stoop and build 'em up with worn-out tools:

If you can make one heap of all your winnings
And risk it all on one turn of pitch-and-toss,
And lose, and start again at your beginnings
And never breath a word about your loss;
If you can force your heart and nerve and sinew
To serve your turn long after they are gone,
And so hold on when there is nothing in you
Except the Will which says to them: "Hold on!"

If you can talk with crowds and keep your virtue,
Or walk with kings--nor lose the common touch,
If neither foes nor loving friends can hurt you;
If all men count with you, but none too much,
If you can fill the unforgiving minute
With sixty seconds' worth of distance run,
Yours is the Earth and everything that's in it,
And--which is more--you'll be a Man, my son!

--Rudyard Kipling

 

escrito no papiro por ACCB às 23:49
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

Pensamento deste dia:

 

 

"Não é aceitável que não se oiça um clamor de exigência de cidadania, de exigência de explicitação do que se quer para o país e com quem".


Paula Teixeira da Cruz a 10 de Setembro

 

________________

 

escrito no papiro por ACCB às 22:33
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

As coisas estão giras por aqui:

Não gosto da Expressão : - À BOCA DA URNA 

 

mas vale a pena espreitar

 

E   já agora aqui, em que  já se arrisca  sugestão para coligações

 

 

-

------------resultados nacionais em directo -------

------------------------------

escrito no papiro por ACCB às 21:52
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

Em Tomar pensou-se em voz alta

 

 

A preocupação da lei em responsabilizar sobretudo os juízes tem os seus perigos.

 

"É preciso que isso não tenha um alto preço, que não fira de morte um bem fundamental: a liberdade de julgar, essencial para a função do juiz",

 

-------------------------------------------------

escrito no papiro por ACCB às 21:07
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

Enquanto aguardamos resultados...

escrito no papiro por ACCB às 01:10
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (4) | juntar aos escribas
Sábado, 26 de Setembro de 2009

Resta a esperança

 

 

 

 

 

 

Resta essa faculdade incoercível de sonhar

De transfigurar a realidade, dentro dessa incapacidade

De aceitá-la tal como é, e essa visão

Ampla dos acontecimentos, e essa impressionante

E desnecessária presciência, e essa memória anterior

De mundos inexistentes, e esse heroísmo

Estático, e essa pequenina luz indecifrável

 

A que às vezes os poetas dão o nome de esperança...

 

Vinicius

escrito no papiro por ACCB às 21:13
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas

Dead or Alive

tags:
escrito no papiro por ACCB às 09:00
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (8) | juntar aos escribas
Sexta-feira, 25 de Setembro de 2009

Paixão pelo Jazz - vamos tomar um café?


 

Os visitantes do Centro Vasco da Gama têm a oportunidade de, durante o mês de Setembro, no piso 1, assistirem a vários concertos de jazz. Esta iniciativa, decorre sempre das 18h30 às 20h00 e permite aos visitantes do Centro Vasco da Gama usufruírem de uma experiência de visita descontraída e num ambiente relaxante depois de um dia de trabalho.

 

-

escrito no papiro por ACCB às 08:52
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (5) | juntar aos escribas

Justiça à Procura de Justiça

A Justiça foi a mais injustiçada?

Pelo menos sente-se assim.

E, se tivermos em conta que  ela vive em cada acto praticado no dia a dia, a Justiça foi sim, a mais  Injustiçada.

 

 

Leiam aqui  ou aqui

 

escrito no papiro por ACCB às 08:51
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas

Poemas alheios

escrito no papiro por ACCB às 02:22
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas
Quinta-feira, 24 de Setembro de 2009

Atenção, isto não é cá.

"O autoritarismo está de volta em alguns países da América Latina, com risco de contagiar muitos outros. E um dos principais sintomas deste avanço do retrocesso está nas contínuas investidas dos governos, na tentativa de calar os jornais de oposição."

 

Isto é na Bolívia - AQUI

 

Censura.jpg

escrito no papiro por ACCB às 21:39
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

Escutas telefónicas

Falar de escutas Com nota  no final.....

 

E basicamente, podemos ser escutados?

 

 

-

---

------------------

escrito no papiro por ACCB às 08:20
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas

Falar ou não falar? Eis a questão

HOJE É QUINTA FEIRA
 
 
escrito no papiro por ACCB às 08:18
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

Será que no dia 27 vai fazer?!?

Carolina Patrocínio - Mandatária para a Juventude pelo Partido Socialista .

Frases célebres:

 

"Sou muito competitiva.

 

Detesto perder! Prefiro fazer batota, a ter que perder!" 

 

TAMBÉM FOI BATOTA? ela só diz disparates...que sofrimento...

 

"só como cerejas se a minha empregada lhes tirar os caroços".

 

carolina patrocínio

escrito no papiro por ACCB às 07:59
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (8) | juntar aos escribas

as armas mais à mão..........

 

 

Tomou-me vossa vista soberana
Aonde tinha as armas mais à mão,
Por mostrar que quem busca defensão
Contra esses belos olhos, que se engana.

Por ficar da vitória mais ufana,
Deixou-me armar primeiro da razão;
Cuidei de me salvar, mas foi em vão,
Que contra o Céu não vale defensa humana.

Mas porém, se vos tinha prometido
O vosso alto destino esta vitória,
Ser-vos tudo bem pouco está sabido.

Que posto que estivesse apercebido,
Não levais de vencer-me grande glória;
Maior a levo eu de ser vencido.

 

 

Luís de Camões

escrito no papiro por ACCB às 07:59
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas

Recordações ao vivo e a cores

________________________

 

Desabava sobre as letras se cada célula minha o pudesse fazer.

Cansada, exausta, mas, com a sensação de regresso ao passado desta vez com passos mais firmes.

Engraçado que é voltar ao local onde, não direi que fui feliz no sentido pleno da palavra, mas onde gostei de estar dois anos seguidos.

Regressar ao local que me deixou saudades, onde entrei  em início de carreira.  Regressar à casa que me viu dar os primeiros passos como Juiz e, desta vez como desembargadora.

 

Estou mais velha, não estou velha.

Estou mais madura , ainda não amadurecida...

 

Pela marginal até à foz, entrando por Matosinhos, faço uma pausa no dia e almoço um peixe grelhado fresquinho daqueles que o mar nos oferta....

Saboreio o Sol e o branco da espuma, não há areais mas há mar e o cheiro a maresia...

 

Sabe-me bem... Sabe tão bem...

 

De regresso à solenidade dos actos e dos factos, há depois o regresso a Lisboa.

Para trás fica o rio e a Foz cheia de brancos e luz,...para trás ficam as paredes escuras e ruas empedradas de história... Para traz fica o sol e o dia que hoje ofereceu 31º de temperatura e esplanadas plenas de gente que eu bem as vi cá de cima...

 

Recordações que regressam para saborear mais e melhor na próxima semana. ...................

_________

 

ACCB

escrito no papiro por ACCB às 00:33
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas
Terça-feira, 22 de Setembro de 2009

O Outono chegou

 

 

 

Llueve,
detrás de los cristales, llueve y llueve
sobre los chopos medio deshojados,
sobre los pardos tejados,
sobre los campos, llueve.

Pintaron de gris el cielo
y el suelo
se fue abrigando con hojas,
se fue vistiendo de otoño.


La tarde que se adormece
parece
un niño que el viento mece
con su balada en otoño.

 

Una balada en otoño,
un canto triste de melancolía,
que nace al morir el día.
Una balada en otoño,
a veces como un murmullo,
y a veces como un lamento
y a veces viento.

 

Llueve,
detrás de los cristales, llueve y llueve
sobre los chopos medio deshojados,
sobre los pardos tejados
sobre los campos, llueve.

 

Te podría contar
que esta quemándose mi último leño en el hogar,
que soy muy pobre hoy,
que por una sonrisa doy
todo lo que soy,
porque estoy solo
y tengo miedo.

 

Si tú fueras capaz
de ver los ojos tristes de una lámpara y hablar
con esa porcelana que descubrí ayer
y que por un momento se ha vuelto mujer.

 

Entonces, olvidando
mi mañana y tu pasado
volverías a mi lado.

Se va la tarde y me deja
la queja
que mañana será vieja
de una balada en otoño.

Llueve,
detrás de los cristales, llueve y llueve
sobre los chopos medio deshojados...

 

 

Juan Manuel Serrat

___________

 

___________

 

_____________________________

 

 

Hoje celebra-se, uma vez mais, o Equinócio do Outono. Segundo a Mitologia Clássica a Deusa Perséfone viaja para o reino do Hades (submundo) e com isso a Natureza morre (Outono), daqui por 6 meses, ela voltará para junto de sua Mãe, Deméter e a Natureza renascerá (Primavera).

 
-

 

escrito no papiro por ACCB às 20:47
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (4) | juntar aos escribas

sentimentos desgovernados

 

 

 homem.jpg image by djpa

 

 

“É tão natural destruir o que não se pode possuir,

negar o que não se compreende, insultar o que se inveja.”

-

Honoré de Balzac

 

------

escrito no papiro por ACCB às 09:00
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (4) | juntar aos escribas

Ofereceram-me esta foto. LINDA!

escrito no papiro por ACCB às 08:59
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

Segurança e Cidadania

 

 

 

AQUI NO OLHAR DIREITO

 

---

------------

escrito no papiro por ACCB às 03:04
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

música pela noite dentro... boa noite.............

escrito no papiro por ACCB às 03:00
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (1) | juntar aos escribas
Segunda-feira, 21 de Setembro de 2009

Falemos de férias...... no pretérito perfeito

 

____________

 

"Caçamos" os melhores ângulos e, espreitamos os pormenores que ficam guardados em pequenos espaços que são resultado de um olhar atento, abstraído do conjunto. Casablanca, não tem mais o encanto de "As time goes by", mesmo que digamos: "Play it again, Sam.

 

Casablanca ou الدار البيضاء, ad-Dhar-al-Bayda, é uma cidade igual a tantas outras, sem o perfil romântico que todos lhe atribuímos por causa do filme que a fez célebre.

 

A pé, pelo deserto, chegamos a MarraKeche onde todos se movimentam sem regras e a lei é a de ganhar ou estorquir dinheiro ao viajante que passa distraído.

 

Se algo encontramos de bom em MarraKeche é caro e, aí sim, come-se a comida tradicional bem confeccionada e requintada.

Se o mundo árabe fosse sempre à volta daquela mesa... eu queria ficar a escutar...e a saborear...

 

Mulheres cobertas e escondidas num mundo em que os homens não sabem para onde vão.

Histórias tristes e não de mil e uma noites. Palácios de Vizirs, surgem súbitos em ruas escuras e sujas como se numa magia de lâmpada de Aladino fossem mentira. Marrakeche novamente, não.

 

De caminho a Agadir há a sensação do culto e do sagrado. O silêncio parece falar connosco. No cemitério onde entramos sem nos apercebermos das campas, todos são iguais e por todos se reza igualmente. Faz-se silêncio porque na morte, finalmente, somos todos iguais.

 

Ala Akiba sempre, sejas cristão ou outra coisa qualquer. É assim para quem aceita e afasta o fundamentalismo.

 

Mulher não entra em Mesquita senão pela porta traseira, não descobre a cabeça e reza ao fundo da Mesquita. Na hora de rezar o tapede abre-se na rua, e Meca é a direcção em que seguem as preces.

Mulher reza na retaguarda ou os homens não se concentram em Deus, diz o guia. Antes assim fosse ...

 

Um pedacinho de mundo árabe aqui e ali. Cheio de contrastes.

Para trás ficou o sonho, desfeito sim, porque: "As time goes by".

________

 

ACBB

 

__________

escrito no papiro por ACCB às 14:48
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (11) | juntar aos escribas

TEJO AO FUNDO E LISBOA COM LUZ

 
 
 
 
_________
 
 
 
Volto sempre aquela foto
tirada algures no alto
duma colina de Lisboa.
O Tejo, ao fundo,
prolongado na linha do horizonte,
assemelha-se a “écharpe” de seda,
brilhante, planando,
descobrindo-te os ombros.
 
A cidade, entre ti e o rio,
traz nas vísceras os escombros,
e no útero os assombros
rutilando ao sol de verão.
                                    (O teu sorriso, etéreo,
                                      mas tão conciso, não.)
 


Passo meus dedos por teus lábios,
rúbeos, almiscarados, e neles
fico suspenso.
                                (Escondidos sob os óculos
                             adivinho um mundo imenso.)
 

 
Luís Eusébio AQUI
 
 
escrito no papiro por ACCB às 01:11
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (1) | juntar aos escribas
Sábado, 19 de Setembro de 2009

Escutamos agora falamos depois

E jÁ AGORA AINDA A PROPÓSITO

--------

__________________

------------ -

escrito no papiro por ACCB às 23:11
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (3) | juntar aos escribas

Vocês conseguem??

Um amigo mandou-me esta graça...

 

 

Vocês conseguem adivinhar pelos Cokcpits?

Lockheed Martin F-22A Raptor aircraft picture

 

----------------------

escrito no papiro por ACCB às 22:43
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

Em Évora

PORTUGAL AIR SHOW 2009

 

 

 

 

 

 

Onde este ano não estarão os Asas de Portugal. Razões técnicas?

 

_

-CICLO DE CONFERÊNCIAS SOBRE DIREITO AÉREO

 

---

escrito no papiro por ACCB às 10:45
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

Encontro de Juizes Portugal/Espanha

 
 Dia 25/9  (Hotel Astória) 22h00 - Tertúlia «Hablando de Justicia»: Jueces para la Democracia / Associação Sindical dos Juízes Portugueses
Dia 26/9 (sábado) Seminário: O Mandado de Detenção Europeu 10h00 - Inicio dos Trabalhos «Apresentação do Projecto comum sobre a Avaliação do MDE em Portugal/Espanha/Itália/Holanda»
 
Intervenções António Latas, Juiz Desembargador do Tribunal da Relação de Évora. Conceição Gomes, Investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra.
Ignazio Gonzalez, Juiz e Letrado do Consejo General del Poder Judicial
Sabela Oubina, Professora de Derecho Procesal da Universidade Carlos III, Madrid
 
12h00 - Conferência: «O Mandado de Detenção Europeu no âmbito da politica de justiça penal europeia». Professor Doutor Pedro Caeiro, Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra 13h00 - Encerramento do Seminário Local: Coimbra, Palácio da Justiça 13h30 - Almoço 16h30 - Visita ao Convento de Sta Clara a Velha
 
 

Associação Sindical dos Juízes Portugueses

escrito no papiro por ACCB às 10:45
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

Falso e-mail na Net atribuído à PJ

Nos endereços de email de Portugal

 

escrito no papiro por ACCB às 10:44
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

P.P.P.

P.P.P. - Quer dizer apenas Parabéns Paulo Portas

Portou-se com um à vontade extraordinário

De repente o Ricardo estava a responder às perguntas do entrevistado!!

BOA!

_________
escrito no papiro por ACCB às 10:35
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (5) | juntar aos escribas

Uma visão dos lobos e dos sentimentos

 

 

 

tags:
escrito no papiro por ACCB às 10:31
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas

Foto Erótica?

escrito no papiro por ACCB às 10:30
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (3) | juntar aos escribas

Que quer dizer com Paulo Portas ao Colo?!

Esmiuçar os sufrágios...

 

(Com este nome até parece que vão espremer qualquer coisa.............)

 

Manuela Ferreira Leite foi cautelosa, rápida de raciocínio,...demorada a responder...humor .. mas pouco à vontade. O cão salvou-se, a PME também, e houve dinheiro para comprar o quadro...(mas não era o mesmo).

Assumiu sectarismo....................."LOL"!

 

De qualquer forma não correu nada mal.

 

 

_________

escrito no papiro por ACCB às 10:21
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (1) | juntar aos escribas
Sexta-feira, 18 de Setembro de 2009

Con este poema non farás la revolucion, dice

escrito no papiro por ACCB às 00:22
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas
Quinta-feira, 17 de Setembro de 2009

A casa dos avós

Photobucket

 

 

Era o tempo em que ser, e apenas ser, era importante e existia.

O tempo em que o faz de conta, era a realidade e, a realidade, vivia num mundo à parte do faz de conta, para fazer de conta que existia.

Era o tempo dos sonhos, dos cavaleiros e das princesas, das fadas e das magias, e tudo acontecia.

 

Havia recantos mágicos, caixas vazias cheias de tudo e arcas de onde saíam maravilhas de outros tempos que nos transportavam onde queriamos ir.

Não havia dúvidas em  nenhuma gaveta, nas mangas apenas as cartas mágicas da alegria. Se alguém chorava a dor era apenas física e passava. Tudo mais eram sonhos,...talvez alguma poesia.

 

Nos recantos da memória encontro muitas vezes os risos  incontroláveis das brincadeiras de infância espalhadas pela casa de férias que ora era palácio, ora castelo, ora esconderijo de bruxas...

 

Hoje, há risos que já se foram. Risos cristalinos e incontroláveis, que se riam baixinho numa brincadeira de esconde esconde e me ficaram nos ouvidos.

Ainda os guardo para voltar a ser menina,...não os perdi mas sinto a falta deles.

 

À noite, dormiamos todos no mesmo quarto e adormeciamos cansados de tanto rir sem som, porque os adultos já tinham adormecido na realidade deles que sempre viria a ser a nossa.

Era um acampamento de índios, ou um esconderijo de heróis. Era uma desorganização que só nos era permitida nas férias.

 

Hoje tenho saudades da casa cheia de nós e, por vezes , tenho a sensação de que nesses dias de férias, só nós viviamos  lá.

..................

 

ACCB

 

 

 

 

escrito no papiro por ACCB às 23:33
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

Oração

Em Fátima
Foi um impulso - é sempre um impulso -, que me levou a Fátima, hoje, pelo meio da tarde, numa viagem solitária, como tantas outras que ali já fiz. Deambulei pelo Santuário, tentei encontrar. sem êxito, o preciso local para onde, em 1982, jovem repórter, corri como um doido ao ver, no Centro de Imprensa, as imagens na tv do atentado de Juan Khron a João Paulo II e sorri ao ver o local onde, em 13 de Maio de 1986, também repórter, vagamente adormeci juntos dos peregrinos para tentar perceber o sofrimento das noites no chão duro da Cova da Iria.

Fui, depois, à nova Basílica, que é belíssima, fiquei por ali uns minutos, pedi a uma senhora francesa que me fotografasse com o telemóvel (foto abaixo), voltei a deambular por ali, até que desci à Capela das Aparições. A sensação é sempre a mesma, quando me sento nos bancos corridos de madeira e olho Nossa Senhora, na sua fragilidade.
 
Começo por sentir um estremecimento no coração, um nó na garganta, sinto um vago cheiro de rosas e choro. Choro copiosamente, um despudor a que ninguém liga, como se cada lágrima fosse a expiação de um pecado. Depois, olhos no olhos, a conversa muda, feita de silêncios e dos meus embaraços, porque não sei rezar, teimo que Ela olha para mim, vislumbro, até, aqui e ali, um condescendente brilho que me vai aliviando e secando o choro. Eu sei que Ela me ouve, seja quando Lhe conto dos desvarios, seja quando Lhe peço desculpa por não a visitar mais vezes para lhe agradecer as Graças que me concede.
 
E tem concedido muitas, sejamos justos - talvez mais até do que aquelas que faço por merecer -, mas Ela conhece-me há muito tempo e sabe que não é por mal e que volto sempre, mais cedo ou mais tarde e que lembro d'Ela muitas vezes.

Além disso, Ela sabe que eu também não sou muito exigente, pelo menos no que a mim toca. Que Lhe peço, então? Dias felizes para os que amo e serenidade para mim. É sempre o mesmo. Fico por ali meia-hora ou mais, o olhar sempre fixo na Sua imagem e, depois, é Ela quem me manda embora e eu vou.
 
Saio do Santuário com passos lentos, tranquilos, aceno-Lhe quando subo os degraus que dão para o jardim e sinto paz, uma paz indescritível, que nunca soube explicar, nem tenho que explicar, basta-me saber que Ela está sempre ali, quando eu preciso, e que me acolhe sempre no Seu imenso coração.
 
Coutinho Ribeiro
escrito no papiro por ACCB às 23:24
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (1) | juntar aos escribas

De Perfil

Sobre mim

Sou alguém que escreve por gostar de escrever. Quem escreve não pode censurar o que cria e não pode pensar que alguém o fará. Mesmo que o pense não pode deixar que esse limite o condicione. Senão: Nada feito. Como dizia Alves Redol “ A diferença entre um escritor e um aprendiz, ou um medíocre, é que naquele nunca a paixão se faz retórica.” online

últimos papiros

Empatias

ESPLANADA

Pai

Aquele traço de escrita

Pássaros

Amigo não é nada disso

Filhos.....

Obama

A propósito de Trump

Choveu

Desiderata

8 de janeiro de 2014

Um texto que dá que pensa...

Para Fazer o Retrato de u...

Poema pouco original do m...

Poema de Jenny Londoño

Tons de escrita

Super Lua

No dia 11.11.2016

10.11.2016

"May be ...... the price ...

Não peças a quem pediu

Noite....

....contemplação....

Como é um alentejano?

Que se dane a regra e o p...

Sílaba súbita

É nos olhos....

Papéis velhos...

Papel em branco.....

. A escrever qualquer coi...

Linhas...

Chuva de lua cheia

Inércia

Adeus Meu Amigo

Esta força que ninguém po...

Portugal/França

Dois homens à beira rio

Paris En Colère

Paris Je T'aime

El embrujo de la guitarra...

A Hora de ser livre

O outro lado da rua

Tarkovsky

Bocage

Saramago - 18.6

Se partires, então, escre...

Lopetegui....Lotopegui......

Como o Sol A Pôr-se

Entrega-te ao medo e não ...

papiros em biblioteca

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Março 2016

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Fevereiro 2015

Dezembro 2014

Outubro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outros Papiros

licensecreativecommons

Licença Creative Commons
A obra Cleopatramoon de Cleopatramoon Blogue foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Partilha nos Mesmos Termos 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em cleopatramoon.blogs.sapo.pt.

Outros Papiros

Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30

subscrever feeds