Quarta-feira, 28 de Março de 2007

...


"O meu mundo não é como o dos outros,

quero demais, exijo demais,

há em mim uma sede de infinito,

uma angústia constante que nem eu mesma compreendo,

pois estou longe de ser uma pessoa;

sou antes uma exaltada, com uma alma intensa,

(...)

uma alma que ___________________,

que tem saudade,

sei lá de quê!"

.

(Florbela Espanca)
escrito no papiro por ACCB às 20:36
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (13) | juntar aos escribas

Desafio _ tempestades


 

 
 
 
 
 
 
 
MOTE


 

" Quem tem Medo de Tempestades Acaba a Rastejar"
-


 

Escrevam um pequenino texto sobre este mote.
 
_



 

O desafio fica lançado


 

à Ni
-
ao


 

ANónimo
 
com quem por vezes escrevo a três mãos.
.
Gosto de chamar assim ao jogo de escrita que fazemos.



 

Mas estão convidados todos os corajosos e todos os que gostam de desafios como a GTL
A LUA DE LOBOS
E O APACHE
Já agora JOÃO.... apare o lápis e venha daí também
E traga outro amigo ...
O FERREIRA E O MANZA já se juntaram a nós.
E o LOUCO e.....quem mais quer escrever sobre tempestades???
tags:
escrito no papiro por ACCB às 18:43
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (19) | juntar aos escribas
Terça-feira, 27 de Março de 2007

She

escrito no papiro por ACCB às 23:12
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (8) | juntar aos escribas

chá....

Fim de tarde em Lisboa.
Um chá de cerejas do Japão no Magnólia.
Tanta flor e tanta Primavera.
Matar saudades de aromas a sonho.

Sabe bem a manteiga fresca nos scones ainda quentes.
Um livro comprado para ler enquanto à volta os outros fazem o seu fim de tarde de volta de um jornal ou dos casos do dia.

Há uma música suave ao longe.
Disfruto do tempo enquanto a empregada nervosa só pensa em voltar para.......nem sei onde.

O livro é de Brian Weiss.
Não o conhecia. Falaram-me dele.
Comprei-o para lhe passar os olhos e acabei por iniciar a leitura...
O último que ele escreveu penso...

É bom beber chá de cerejas do Japão...
Tem aroma a sorriso e a vontade de viver.
Tem aroma a: - A Vida não acaba aqui nem assim!

tags:
escrito no papiro por ACCB às 22:53
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (3) | juntar aos escribas
Segunda-feira, 26 de Março de 2007

Apontamento de um homem

 

para uma mulher sem data


 


O frenético ritmo da Voz
Parou repentinamente durante o semanal descanso,
O Olhar brilhou tanto quanto a natureza
E a ordem social permitia mas,
Não logrou mergulhar na intimidade da Voz

Esta pensou, reflectiu,
Sonhou, imaginou, reviu,
Re-sonhou, re-imaginou,
Sempre com o olhar a seu lado,
À distância de um som,
Um clic,
oi!
uf!
De um adoro-te, desejo-te !!!

O Olhar não afastou o fascinio,
Nem a simpatia. É que...
É fascinado sem querer,
Amante sem querer,
Desejado, sem querer,


 

.
Mas que SORTE a deste, magnifico, OLHAR.


 

P.G.
escrito no papiro por ACCB às 17:09
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (4) | juntar aos escribas
Sexta-feira, 23 de Março de 2007

PORQUE O SONHO COMANDA A VIDA

 

e porque

NÃO DEVEMOS DESISTIR DE NADA!

 

É dos clips mais bonitos que já vi até hoje.

Ofereço-o a todos os meninos ( ainda que homens) que sonham

e não deixam ( nunca) que o sonho os abandone!

BOM FIM DE SEMANA.

tags:
escrito no papiro por ACCB às 22:43
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (9) | juntar aos escribas
Quinta-feira, 22 de Março de 2007

Ou nos perdemos juntos.....


***
Se tanto me dói que as coisas passem
É porque cada instante em mim foi vivo
Na busca de um bem definitivo
Em que as coisas de Amor se eternizassem "

Sophia de Mello Breyner Andresen

 

__________________

Há dias um amigo comentava comigo que eu vivia tudo intensamente.Demasiado intensamente.Que não podia ser assim.Que tudo na vida é relativo e que é um desgaste sentir tanto, TODA a Vida.

Respondi-lhe que não sabia viver de outra forma. Que não fazia o meu género.Que vivi sempre com intensidade e que, embora sabendo que é desgastante, também sabia que não sabia ser de outra forma.

Dizia ele:

-Sabes, nada é eterno. Tudo tem um fim. Tudo é efémero. Os sentimentos , as pessoas, as zangas, as alegrias, as tristezas... O Amor.


-Que não - disse-lhe eu - Na vida busquei e busco sempre o que é eterno. Só assim sei ser. Tudo é eterno para mim,. Principalmente o Amor. O amor. Não me refiro ao sexo. Refiro-me mesmo ao Amor! Aquilo que sentimos "apesar de" e não "porque".Entendem? O Amor. O Amor mesmo com todos os defeitos, tiques, manias, fracassos,....mesmo com isso. Percebem? Estão a ver?

( Isto já parece o gato fedorento!)

Só deixa de amar quem nunca amou. Não se pode amar hoje e, amanhã, como num passe de mágica deixar de amar.

O que eu penso é que há pessoas que não sabem amar. Uma verdadeira desgraça. E não sabem deixar-se amar.

Então inventam desculpas, dizem que... são marginais nessas coisas, colocam- se um rótulo de marginais, no sentido de superiores, mais intensos e mais sábios, mais perfeitos, mais supremos, mais no Olimpo e, dizem que os outros criam sempre qualquer coisa, qualquer mal estar, qualquer fricção, qualquer instabilidade... Sim... e deixam de amar coitados.É uma pena.

Tenho para mim que são crianças frustradas, ou demasiado mimadas ou nunca amadas. Os outros são sempre os culpados dos seus fiascos. Viver com frustrações ou dificuldades é culpa alheia. Eles são perfeitos. Essa coisa da imperfeição, das chatices, dos "stresses" do quotidiano é para os outros e são os outros que os criam.

É. Ao estilo do filósofo existencialista francês Jean Paul Sartre na sua célebre conclusão: - "O Inferno são os outros!"

Claro! Os outros. os espelhos da nossa alma. E principalmente os que nos amam e nos dizem por isso mesmo o que não gostam.O que em nós é egoísta, inseguro egocêntrico. E que em nós se serve dos outros e depois os larga à deriva... O que em nós não presta.

Não precisamos de mais ninguém para sermos infelizes a não ser dos outros.

A solidão tem as suas dores, deixa-nos secos, irracionais e insensíveis. Mas oferece nos uma enorme vantagem:

Não ameaça as imagens que cultivamos a nosso próprio respeito, não ameaça o nosso ego. Os outros sim , mas enquanto não nos conhecem bem por dentro. O Outro expõe-nos como um espelho ( da Bruxa da Branca de Neve talvez) o que somos e não queremos saber, nem aceitar que somos.

E que quando descobrimos que os outros conhecem, tentamos esconder fugindo, porque a coragem de perceber que nos amam ou podem amar "apesar de"...não existe. Simplesmente porque essas pessoas não se sabem deixar amar.

É por isso que vivo na intensidade de sentir que tudo é eterno para mim. Simplesmente porque quando amo, logo existo , simplesmente porque só existo quando amo. Simplesmente porque amo. E simplesmente porque se ama "apesar de".

ACCB

2.3.07

 

 

“Nenhum de nós pode salvar-se sozinho; ou nos perdemos de uma vez juntos, ou nos salvamos juntos.” (Garcin)
escrito no papiro por ACCB às 23:58
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (24) | juntar aos escribas

Cada cabeça.....

Zdzislaw Beksinski
_
 
Ora toma lá que é para aprenderes!

 
OU

 
Quanto mais me bates, mais gosto de ti:

 
Ou ainda

 
É rebelde? Chega-lhe!

 
 

 
 
*
 
Juíza alemã cita Corão para rejeitar divórcio de mulher agredida pelo marido 22.03.2007 - 13h49 AFP, Reuters

Uma juíza alemã negou o divórcio imediato a uma mulher de origem marroquina vítima de violência doméstica por considerar que o Corão não proíbe esse tipo de práticas, passando por cima da legislação do seu país. A revelação do caso está a gerar uma onde de indignação no país que já levou ao afastamento da juíza do processo.
A primeira reacção surgiu na imprensa, que esta manhã dava grande destaque. "Onde vivemos? Uma juíza autoriza o espancamento de uma mulher e refere-se ao Corão", titula o diário popular "Bild", enquanto o jornal de esquerda "Taz" cita na sua primeira página o versículo 34 do sura 4 do Corão:

 
"Se temes que a tua mulher se rebele, então ameaça-a, rejeita-a no teu leito conjugal e bate-lhe".

 
Temendo repercussões deste caso, o Conselho de Muçulmanos da Alemanha reagiu de imediato, emitindo um comunicado no qual sustenta que a juíza "deveria referir-se à Constituição alemã e não ao Corão" e lembra que também para a lei islâmica a violência e os maus tratos são motivos que justificam o divórcio.

 
Em Maio do ano passado, a vítima, de 26 anos e mãe de duas crianças, denunciou o marido, também de origem marroquina, afirmando que ele lhe batia regulamente e ameaçava matá-la.

 
Quatro meses depois apresentou um pedido de divórcio sumário – uma situação só permitida pela lei alemã em situações extraordinárias – alegando que continuava em perigo, mesmo depois de ter saído de casa.

 
Na resposta, a juíza de um tribunal de Frankfurt a quem foi atribuído o caso recusou o pedido, alegando que nas sociedades muçulmanas, de onde ambos são originários, "não é invulgar que o marido exerça o seu direito de punir a mulher" com castigos físicos.

 
A mulher pediu então o afastamento da juíza deste processo, por parcialidade, mas na resposta que deu ao requerimento a magistrada justificava a sua decisão citando versículos do Corão que, segundo ela, dão ao marido o direito de bater na mulher se duvidar da sua castidade.

 
A magistrada acabou por ser afastada do caso por um tribunal de recurso."

 
A juíza considera aparentemente que a minha cliente não é casta por ela ter adoptado o estilo de vida ocidental", afirmou a advogada Becker-Rojczyk, em declarações à edição online da revista "Der Spiegel".

 
A classe política alemã, dos conservadores à esquerda, já condenou a atitude da magistrada, que consideram inaceitável."Quando o Corão ultrapassa a lei fundamental alemã, já não me resta dizer mais nada", afirmou ao "Bild" o secretário-geral dos democratras-cristãos da CDU.

 
 

 
Já o ministro do Interior da Baviera, Gunther Beckstein, considerou que os argumentos da juíza "são de tal forma insuportáveis que não devem em caso algum ser tomados em consideração, mesmo do ponto de vista de uma eventual interpretação legal".

 
 

 
Também o presidente do grupo parlamentar dos Verdes, Hans-Christian Stroebele, lembrou que a legislação do país pune os maus tratos e ameaças à integridade física, uma noção que a magistrada não podia ter ignorado.
---------
E pronto!
tags:
escrito no papiro por ACCB às 16:44
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (6) | juntar aos escribas

Cansados

 
 
de ver o número de processos a aumentar em cima das secretárias, os juízes querem ver definida a quantidade de processos judiciais que cada um deve receber anualmente. A associação sindical da classe já fez o estudo sobre o volume de serviço, e vai apresentar um número que considera adequado. A proposta, nalguns casos, reduz para mais de metade a carga de trabalho a que actualmente os magistrados estão sujeitos em vários tribunais. O relatório, a que o DN teve acesso, vai ser debatido no sábado, em Coimbra.

 

Continua aqui
tags:
escrito no papiro por ACCB às 08:16
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas

...........

(Podia chamar-lhe "Primeira água")


Ó maravilha, existo no mundo dos teus olhos.
(...)
Por uma água tão pura vale a pena viver.
(...)

António Ramos Rosa
*
-
escrito no papiro por ACCB às 00:10
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (4) | juntar aos escribas
Quarta-feira, 21 de Março de 2007

...


O amor não se conjuga no passado:

ou se ama para sempre, ou nunca se amou verdadeiramente.
***
*
-
21 DE MARÇO – NO DIA MUNDIAL DA POESIA
-
O Dia Mundial da Poesia foi instituído na 30ª Conferência Geral da UNESCO
em 1999.
-
---
tags:
escrito no papiro por ACCB às 00:16
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (14) | juntar aos escribas
Segunda-feira, 19 de Março de 2007

Num País onde a propriedade vale mais

Hoje é dia do..Pai.
.
Todos somos Pais
.
66 é o número de crianças, menores de 15 anos, que o INE calcula morrerem por ano, em Portugal, vítimas de maus tratos.
.
O número corresponde a 3,7 por cada 100 mil crianças.- 40 mil crianças portuguesas são todos os anos maltratadas, segundo um estudo da pediatra Maria José Fernandes, realizado em 2006.
.
- 6 crianças são em média, por dia, vítimas em Portugal de agressões que obrigam a internamento hospitalar, de acordo com a Inspecção-Geral de Saúde.
.
- 100 mil é número de crianças em risco apontado por Luís Villas-Boas, director do Refúgio Aboim Ascensão, em Faro.
.
Dos últimos CASOS DRAMÁTICOS -
SARA SANTOS
Em Dezembro de 2006, dois dias depois do Natal, uma menina de dois anos entrou no Centro de Saúde de Monção já sem vida. A mãe, autora das agressões, disse que a menina tinha caído das escadas.
DANIEL CARVALHO
Surdo de nascença, o miúdo de seis anos foi morto pelo padrasto, em Setembro de 2005, em Caxias. Além das agressões, o rapaz foi vítima de abusos sexuais, apresentando ferimentos no ânus.
VANESSA PEREIRA
Moradora no Bairro do Aleixo, no Porto, a menina de cinco anos foi submetida a banhos de água a ferver e foi obrigada a ficar 24 horas sem comer, até que morreu em Abril de 2005.
FÁTIMA LETÍCIA
Teve o primeiro ano de vida marcado pela violência, sendo alvo de sevícias várias. Internada, temem-se lesões para a vida.
O Tribunal de Viseu condenou o pai a dez anos de prisão e a mãe a quatro anos e meio.
YURI NOCCIO
menino de três anos faleceu no Hospital Garcia da Orta, em Almada, onde deu entrada depois de agredido pelo marido da ama, numa casa do Miratejo.
O agressor já foi condenado a prisão efectiva, pela gratuidade das agressões.
ANGELINA P.
Filha de imigrantes ucranianos, a menina de dois anos morreu em Setembro passado, depois de ter sido vítima de abusos sexuais, em Albufeira, cidade onde vivia. O autor das agressões foi o irmão do actual companheiro da mãe.
BEBÉ DE GAIA
Uma menina de 11 meses deu entrada, já sem vida, nas Urgências do Hospital de Vila Nova de Gaia. Inicialmente suspeitos, os pais passaram a testemunhas porque a autópsia indicou morte por asfixia, sem violência.
DANIEL
Quando era visto ao colo da mãe nas ruas de Fetais, Sacavém, Loures, o pequeno Daniel, de 27 meses, primava pelo asseio, mas os vizinhos estranhavam o “choro de dor” da criança. Até que, em 23 de Fevereiro, o menino entrou em coma no Hospital de Santa Maria, em Lisboa.
__________________
tags:
escrito no papiro por ACCB às 20:30
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (7) | juntar aos escribas

Hoje é Segunda feira.

Por favor, em vez de me baterem no carro... como há 8 dias...
Alguém que me cante isto!!!!
OH God I Like IT!!!!!




You want to stay with me in the morning
You only hold me when I sleep,
I was meant to tread the water
Now I've gotten in too deep,
For every piece of me that wants you
Another piece backs away.
.
'Cause you give me something
That makes me scared, alright,
This could be nothing
But I'm willing to give it a try,
Please give me something '
Cause someday
I might know my heart.
.
You already waited up for hours
Just to spend a little time alone with me,
And I can say I've never bought you flowers
I can't work out what the mean,
I never thought that I'd love someone,
That was someone else's dream.
.
'Cause you give me something
That makes me scared, alright,
This could be nothing
But I'm willing to give it a try,
Please give me something,
'Cause someday
I might call you from my heart,
But it might me a second too late,
And the words I could never say
Gonna come out anyway.
.
'Cause you give me something
That makes me scared, alright,
This could be nothing
But I'm willing to give it a try,
Please give me something,
'Cause you give me something
That makes me scared, alright,
This could be nothing
But I'm willing to give it a try,
Please give me something
.
'Cause someday I might know my heart.
Know my heart, know my heart, know my heart
------------
James Morrison
tags:
escrito no papiro por ACCB às 10:22
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (9) | juntar aos escribas
Domingo, 18 de Março de 2007

VALE A PENA OUVI-LA!


 

*
Quem já a ouviu tocar sabe do que fala.
É uma espécie de encantamento, de arrepio na alma, de paragem no tempo e no espaço....
Ela é a flauta ou a flauta é ela?
Não sabemos.
Ambas são a música.
Uma trilogia fantástica!!

___
Miriam Tallette Cardoso nasceu em Lisboa 8/X/83.
Iniciou os seus estudos musicais aos 11 anos na BSMDC, onde permaneceu 10 anos.
Em 1996 entra para o Conservatório Nacional,
onde frequenta o Curso de Flauta Transversal na Classe do Professor João Pereira Coutinho, termina em 2006
com a classificação final a flauta de 17 valores.
-
Ainda no Conservatório trabalha com professores como Pedro Moreira,
onde faz parte do Ensable Moderno
que faz em estreia nacional a obra “Das Lied von den Erde” de Gustav Mahler.
-
Prepara com Eli Camargo a obra “Tre Capricceti” de F. Lopes Graça,
obra apresentada em concurso.
-
Estreia a obra “Triology” de Daniel Schevetz para piano 4 mãos e flauta em Música de Câmara.
-
Em orquestra trabalha com António Costa, João de Lemos e Peres Newton, onde desempenha papel de solista no Concerto em SolM de Vivaldi.
-
Frequenta Masterclasses com Nuno Ivo Cruz, Peter Hostlag, Michel Debost, Averil Williams e Vasco Gouveia.
-
Foi com distinguida com honrosos elogios às suas qualidades e ao seu trabalho por parte do célebre flautista Michel Debost (ex‑professor de flauta no Conservatório Nacional Superior de Música de Paris, ex‑primeiro flauta-solista da Orquestra de Paris e um dos mais célebres flautistas e pedagogos).
-
É bolseira pela Associação Rotary Club Lisboa Estrela da Fundação Rotária Portuguesa para frequentar o “ Mus&Caldas”, realizado nas Caldas da Rainha, com os professores Averil Williams e Vasco Gouveia.
Actualmente frequenta, após ter sido classificada em 1º lugar execuo, o 1º ano da Escola Superior de Música de Lisboa, na classe do Professor Olavo Barros.
-
Continua a colaborar com diversos grupos de música de câmara e outros. Apresenta-se também a solo.
Ao serviço da música já viajou diversas vezes pelo Arquipélago dos Açores, Benidorme e Paris.
Paralelamente ao trabalho de flautista, lecciona na E.B 1 Queluz de Baixo, e na escola de música “Sons e Compassos”.
*
Não a percam no CCB
-
tags:
escrito no papiro por ACCB às 22:59
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas

Há quem não goste...mas nós estamos lá




Portugal já tem mais juízas do que juízes
18.03.2007 - 09h54 Paula Torres de Carvalho ,
(PÚBLICO)

"Em Portugal já há mais mulheres do que homens juízes nos tribunais de primeira instância. Elas também já são a maioria na advocacia. E há cada vez mais magistradas a ocupar lugares-chave na direcção da investigação criminal.


.
Esta tendência do predomínio feminino no sector da justiça tende a aumentar, segundo os dados mais recentes.
.
No ano lectivo de 2005/2006, 80 por cento dos 159 candidatos admitidos ao Centro de Estudos Judiciários (CEJ), a escola de formação de magistrados, foram mulheres.
.
Os números do Observatório da Ciência e do Ensino Superior indicam que também nas faculdades de Direito das três principais cidades do país, Lisboa, Coimbra e Porto, entraram, no último ano lectivo, muito mais alunos do sexo feminino do que do sexo masculino. As diferenças são significativas: 1585 mulheres para 949 homens, em Coimbra; 2052 mulheres para 1318 homens em Lisboa; e 494 mulheres para 224 homens no Porto.
.
(...)

No que diz respeito à magistratura, apesar de as juízas serem em maior número na primeira instância, o mesmo não se observa nos tribunais superiores.

Segundo os números do Conselho Superior da Magistratura (CSM), no Supremo Tribunal de Justiça, há apenas duas mulheres num universo de 71 conselheiros. Nos tribunais da Relação estão colocados 238 homens e 57 mulheres. Só nos tribunais de primeira instância as juízas (864) são mais do que os juízes (636).

::::
escrito no papiro por ACCB às 22:38
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (9) | juntar aos escribas

Chopin

 Nocturne No.2 in E flat major Op.9-2

 



Ou assim



Ou assim


 

escrito no papiro por ACCB às 22:26
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas
Quinta-feira, 15 de Março de 2007

OTA!!! e terraplanagens



NA OTA a certa hora do dia... ou da tarde....

- Boa tarde....que andam os senhores aqui a fazer????
-
- Olhe... andamos a .. a...... a.... preparar ....fazer medições,.... pensar....
Olhe, é uma terraplanagem pronto!
- O que é isso de terraplanagens?

- É ...é...olhe , é para aviões!

Hum! Isto nem dá para milho, qto mais para aviões!!
....
BOM FIM SEMANA
tags:
escrito no papiro por ACCB às 16:57
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (5) | juntar aos escribas

Tem mais alguma coisa a dizer.................

E se um dia, quando um de nós diz ao arguido, no final do julgamento:
 

 


 

-Quer dizer em sua defesa, mais alguma coisa que ainda não tenha dito?


 

....


 

Respondem assim:.........


 

 
 
 
_________________________________
Senhores jurados sou um poeta
um multipétalo uivo um defeito
e ando com uma camisa de vento
ao contrário do esqueleto.

Sou um vestíbulo do impossível um lápis
de armazenado espanto e por fim
com a paciência dos versos
espero viver dentro de mim.

Sou em código o azul de todos
(curtido couro de cicatrizes)
uma avaria cantante
na maquineta dos felizes.

Senhores banqueiros sois a cidade
o vosso enfarte serei
não há cidade sem o parque
do sono que vos roubei.

Senhores professores que pusestes
a prémio minha rara edição
de raptar-me em crianças que salvo
do incêndio da vossa lição.

Senhores tiranos que do baralho
de em pó volverdes sois os reis
sou um poeta jogo-me aos dados
ganho as paisagens que não vereis.

Senhores heróis até aos dentes
puro exercício de ninguém
minha cobardia é esperar-vos
umas estrofes mais além.

Senhores três quatro cinco e sete
que medo vos pôs na ordem?
que pavor fechou o leque
da vossa diferença enquanto homem?

Senhores juízes que não molhais
a pena na tinta da natureza
não apedrejeis meu pássaro
sem que ele cante minha defesa.

Sou um instantâneo das coisas
apanhadas em delito de paixão
a raiz quadrada da flor
que espalmais em apertos de mão.

Sou uma impudência a mesa posta
de um verso onde o possa escrever.
Ó subalimentados do sonho!
a poesia é para comer.

A Defesa do Poeta
Poema de Natália Correia
Recitado pela autora (in EP "Natália Correia Diz Poemas de Sua Autoria", 1969; CD "A Defesa do Poeta", EMI-VC, 2003)


Nota da autora: «Compus este poema para me defender no Tribunal Plenário de tenebrosa memória, o que não fiz a pedido do meu advogado, que sensatamente me advertiu de que essa minha insólita leitura no decorrer do julgamento comprometeria a defesa, agravando a sentença.»


* Natália Correia (1923-1993)
tags:
escrito no papiro por ACCB às 16:28
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (4) | juntar aos escribas

Play it Again Sam!

 

 


 

escrito no papiro por ACCB às 16:14
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (4) | juntar aos escribas
Quarta-feira, 14 de Março de 2007

Mulher de verdade


 
*
 

"(...) Mas ainda existem mulheres de verdade. Mulheres que sabem se valorizar e valorizar o que têm..... o fruto seu trabalho, do seu amor, da sua dedicação.
E, acima de tudo, mulheres com quem se possa discutir um gosto pela música, pela cultura, pela família, sem medo de parecer um "chato" ou um "cara metido a intelectual".


Mulheres que sabem valorizar uma simples atitude, rara nos homens de hoje, como abrir a porta do carro para elas.
Mulheres que adoram receber cartas, bilhetinhos (ou e-mails) românticos!!
Rosas vermelhas!!

Escutar no som do carro, aquela fitinha velha dos Beegees ou um cd do Kenny G (parece meio breguinha)...mas é tão boooom namorar escutando estas musiquinhas tranquilas!!! (...)" -
texto evidentemente brasileiro. Ler com sotaque se preferir! ;)

 
 

Será que é isto que os homens querem???

Hum! Duvido! Eles querem sex bombs!Tiazinhas, feiticeiras... Olhe, se o seu homem quiser uma tiazinha ou uma feiticeira....CORRA COM ELE!!!!!!
___________
escrito no papiro por ACCB às 21:33
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (10) | juntar aos escribas
Segunda-feira, 12 de Março de 2007

...


 

Tenham uma Boa Semana: Hoje é segunda feira!
Afinal....Um dia como outro qualquer!


 

***


 

**


 

*

(enviado pela Ni)
tags:
escrito no papiro por ACCB às 00:21
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (21) | juntar aos escribas
Domingo, 11 de Março de 2007

Sombra / luz

( Carlos Barradas _ Só os anjos Têm asas!)

*
porque eu continuo a suspirar em Lisboa...
especialmente quando chove...
especialmente no Outono...
especialmente num dia como este...
que não é Outono.
____________________
OUTONO EM LISBOA
.
Corriam palavras outonais,

breves poesias murmuradas,

folhas laranja verde-seco

voando leves na aragem gélida.

Queria um café quente,

desesperadamente quente.

Uma sala cheia de gente e fumo,

com cheiro a lareira

e bater de copos

num balcão.

Queimar-me num sopro

dentro de uma chávena de café.

Acender um cigarro e perder-me

em memórias simples.

Um piano.

Uma voz rouca dilui-se em lembrançasde cenas

que jamais existiram.

Que tosse estúpida!

Tenho de deixar de fumar

vagamente...

Aquele fulano ali parece...

Esquecera-me

que tinha morrido dois anos atrás.

Será que resolveu mostrar-se...assim?!

Apenas e só

um efeito de sombra-luz.

Numa tarde chuvosa em Lisboa
________________
maria de são pedro

Quarta 7 de Março
.
http://luadoslobos.blogspot.com/
escrito no papiro por ACCB às 19:01
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas
Quinta-feira, 8 de Março de 2007

Alma de Mulher

Retirada daqui :- Art & Design de Isabel Filipe
*
(clicar na foto para a ver em movimento)


Nada mais contraditório do que ser mulher...
Mulher que pensa com o coração,
age pela emoção e vence pelo amor.

Que vive milhões de emoções num só dia e
transmite cada uma delas, num único olhar.

Que cobra de si a perfeição e vive
arrumando desculpas para os erros,
daqueles a quem ama.

Que hospeda no ventre outras almas, da a luz
e depois fica cega, diante da beleza dos filhos que gerou.

Que dá as asas, ensina a voar mas não quer ver partir
os pássaros, mesmo sabendo que eles não lhe pertencem.

Que se enfeita toda e perfuma o leito, ainda que seu amor nem perceba mais tais detalhes.

Que como uma feiticeira transforma
em luz e sorriso as dores que sente na alma, só pra ninguém notar.
E ainda tem que ser forte, para dar os ombros para quem neles precise chorar.

Feliz do homem que por um dia souber,
entender a alma da mulher !!!
*
( desconheço autor)
escrito no papiro por ACCB às 21:35
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (4) | juntar aos escribas

...

NUNCA DANCES UM TANGO DE ESPADA NA MÃO
tags:
escrito no papiro por ACCB às 18:47
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (8) | juntar aos escribas

Uma Mulher forte VERSUS Uma Mulher de Força

8.3.07



Uma mulher forte vai ao ginásio sempre que pode para manter seu corpo em forma...
Mas uma mulher de força constrói relacionamentos para manter sua alma em forma.
.
Uma mulher forte não tem medo de nada...
Mas uma mulher de força demonstra coragem, em meio aos seus medos.
.
Uma mulher forte não permite que ninguém tire o melhor dela...
Mas uma mulher de força dá o melhor de si ao mundo.
.
Uma mulher forte comete erros e evita os mesmos no futuro...
A mulher de força percebe que os erros, na vida, também podem ser uma benção inesperada e aprende com eles.
.
Uma mulher forte tem um olhar de segurança na face ...
Mas uma mulher de força tem a graça.
.
Uma mulher forte acredita que é forte o suficiente para a jornada...
Mas uma mulher de força tem fé que é durante a jornada que ela se tornará forte.
.
( autor desconhecido )
escrito no papiro por ACCB às 00:52
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (14) | juntar aos escribas

Um conselho para os homens no dia da mulher

Parto-me toda a rir com este clip e vocês nem dizem nada?!
tags:
escrito no papiro por ACCB às 00:50
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas
Terça-feira, 6 de Março de 2007

Imputabilidade aos 14?



O tema é absolutamente pertinente quer pela proposta que foi feita, quer pelo perfil de jovens que vamos vendo aparecer nos nossos Tribunais, quer pela evolução que as mentalidades e comportamentos juvenis vêm tendo e, demonstram cada vez mais conhecimento e noção do que é ou não permitido numa sociedade plural.
.
Mas.......

O facto de o número de crimes cometido por menores de 14 e 15 anos ser elevado, não justifica nem implica que a imputabilidade "venha " para os 14 anos.

Na verdade, não é através do imputar a um menor dessa idade um grau de culpa passível de julgamento em Tribunal criminal , que vai resolver, ou travar a criminalidade.
.
Tenho e sempre tive para mim, que os comportamentos desviantes são fruto de sociedades desestruturadas.
Sociedades económicamente frágeis e culturalmente doentias.
Sociedades em conflito de valores.
Não entendo que, numa sociedade como a nossa, em que tais conflitos são diários ( é facto notório ) imputar a um menor de 14, 15 anos um grau de culpa suficiente para o sentar como arguido numa sala de Tribunal, é talvez torná-lo num "adulto" em vias de delinquência crescente e galopante.
.
O ideal seria começar pelo antes.
Nunca pelo depois.
Que pretendo eu dizer com isto??
Respondo com perguntas:
.
Os nossos jovens têm famílias atentas e presentes?
As nossas famílias podem ser atentas e presentes?
O nosso nível económico , social, cultural, permite-nos estar atento e presente?
Onde falha o sistema?
Nos menores que devem ser imputáveis ou, na sociedade, no sistema, que não lhes ensina como "ser imputável"?
.
Será que o facto de os tornar imputáveis aos 14- 15 anos, não é uma forma de nos "descartarmos" das nossas responsabilidades de imputáveis?
Não será uma forma de demonstrar que o nosso próprio sentido de imputabilidade está um pouco diminuído?
Tenho uma filha com 13 anos e um filho com 9 anos.
Vejo-me e desejo-me para os acompanhar e para lhes transmitir valores.
Morro de sentimentos de culpa porque sinto o meu tempo absorvido pelo trabalho, pelas leis que levo aos outros, pelos valores que tento transmitir na sala de audiências e que muitas vezes não tenho tempo de transmitir em casa.
Que faço??!
.
Cada vez mais nos exigem que sejamos bons profissionais e, cada vez mais nos tentam a ter uma vida económicamente estável, acima da média de preferência, e cada vez mais, temos um país mais pobre em todos os sentidos...
.
E isto acontece com pais de todos os níveis sociais e económicos.
E são os nossos menores que vão pagar esse preço?
São eles os responsáveis pelas nossas "inimputabilidades"?!
Pelos nossos egoísmos, pelo nosso virar de costas ?
E que tal se as responsabilidades dos pais se tornassem mais demarcadas?
Se os pais fossem mais vezes chamados a responsabilizarem-se...
.
Pois , os pais..
Os pais que vivem entre o acompanhamento que não podem dar, a necessidade de garantir a sobrevivência do agregado familiar e o desconhecimento do que fazem os filhos , ...por aí... "sem rei nem roque" como diria a minha avó.
Mas também há os pais com uns umbigos do tamanho de um buraco negro. Ah pois há!!
.
Não me imaginem conservadora, até porque o não sou, mas é no núcleo familiar e social em que se vive que se constrói a personalidade em 80% dos casos.
Os valores apreendem-se aí.

Precisamos de espaço, de tempo, de meios para ser pais, para ser avós, para ser família.
Dizem alguns que o furto é praticado por carências afectivas.
E não me refiro ao furto de chocolates, bombons ou colheradas de açúcar, refiro-me ao furto na rua de TMs , de dinheiro, de "o que vier à mão", com armas brancas, em grupo ou de esticão.... que já é roubo!!!...Pois....
.
É certo que em termos legais houve uma ligeira preocupação com os menores de 16 anos.A partir de Janeiro de 2001, as novas leis tutelares dividiram-se entre a Lei Tutelar Educativa (Decreto Lei n.º 166/ 99 de 14 de Setembro) que define o que se faz aos menores delinquentes entre os 12 e 16 anos e a Lei dos Menores em Perigo (Lei n.º147/99 de 1 de Setembro).
.
Agora temos colégios para menores que cometem crimes, separados dos menores que estão acolhidos.
Mas arrepia e causa-me repulsa, sinceramente ( e há muitos anos ) as instituições de acolhimento, frias, impessoais, despersonalizadas, castradoras...
Desculpem. Sempre pensei assim.
.
Se os menores lá caiem por abandono afectivo, lá vão continuar em abandono afectivo.
Será que o Estado apenas tem a responsabilidade de criar estas instituições?
E a responsabilidade de criar condições?
.
Na minha comarca os jovens que praticam crimes com menos de 16 anos, vivem ao abandono na rua, sem horário escolar certo, em grupos- gangs- que se juntam que se julgam heróis, que "engendram" os maiores disparates, porque chegam a casa e os pais dormem mortos de cansaço, ou bêbados, ou nem pais têm.
São oriundos de países que não é este, vivem com tios e avós, não têm raízes.....
.
Falava-se há dias em pagar às mães que querem ter filhos.
QUEREM, por amor, por querer ter filhos , em contraponto ao que se paga, ou vai pagar, às mães que não os querem ter.
_____

Será que o Estado não podia pensar em pagar, quer à mãe ou ao pai, para investir no seu filho dar provas de rendimento escolar... em vez de pagar mais tarde para que ele ingresse numa instituição ou numa prisão??
Penso sinceramente que passar a imputabilidade de um menor para os 14 anos, é demitirmo-nos e ao Estado, da obrigação do dever de educar os nossos jovens.
Por agora já falei muito... E só vi uma parte da questão.
Há muito a dizer e a discutir...
Fico à espera de ler outras ideias... outras razões, outras visões...
.
ACCB
Fevereiro de 2007
_
PS:_
Em Hong Kong , a imputabilidade "vem" aos 7 anos!
_
escrito no papiro por ACCB às 23:58
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (6) | juntar aos escribas

...

Ainda A Imputabilidade.
Num Cinema agora,...bem longe de ti.

+


Take The Lead -Trailer


tags:
escrito no papiro por ACCB às 13:24
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (4) | juntar aos escribas
Segunda-feira, 5 de Março de 2007

...

Mas resolvam!!! Sabem como? Baixem a imputabilidade para os 14 anos!!!




A DEVIDA COMÉDIA
_______________


Criancinhas
A criancinha quer Playstation.
A gente dá.
A criancinha quer estrangular o gato.
A gente deixa.
.
A criancinha berra porque não quer comer a sopa.
A gente elimina-a da ementa e acaba tudo em festim de chocolate.
A criancinha quer bife e batatas fritas.
Hambúrgueres muitos. Pizzas, umas tantas.
Coca-Colas, às litradas.
A gente olha para o lado e ela incha.
.
A criancinha quer camisola adidas e ténis nike.
A gente dá porque a criancinha tem tanto direito como os colegas da escola e é perigoso ser diferente.
.
A criancinha quer ficar a ver televisão até tarde.
A gente senta-a ao nosso lado no sofá e passa-lhe o comando.
A criancinha desata num berreiro no restaurante.
A gente faz de conta e o berreiro continua.
Entretanto, a criancinha cresce.
Faz-se projecto de homem ou mulher.
Desperta.
É então que a criancinha, já mais crescida, começa a pedir mesada, semanada, diária.
E gasta metade do orçamento familiar em saídas, roupa da moda, jantares e bares.
.
A criancinha já estuda.
Às vezes passa de ano, outras nem por isso. Mas não se pode pressioná-la porque ela já tem uma vida stressante, de convívio em convívio e de noitada em noitada.
A criancinha cresce a ver Morangos com Açúcar, cheia de pinta e tal, e torna-se mais exigente com os papás.
Agora, já não lhe basta que eles estejam por perto.
Convém que se comecem a chegar à frente na mota, no popó e numas férias à maneira.
.
A criancinha, entregue aos seus desejos e sem referências, inicia o processo de independência meramente informal.
A rebeldia é de trazer por casa.
Responde torto aos papás, põe a avó em sentido, suja e não lava, come e não limpa, desarruma e não arruma, as tarefas domésticas são «uma seca».
.
Um dia, na escola, o professor dá-lhe um berro, tenta em cinco minutos pôr nos eixos a criancinha que os papás abandonaram à sua sorte, mimo e umbiguismo.
A criancinha, já crescidinha, fica traumatizada.
Sente-se vítima de violência verbal e etc e tal.
Em casa, faz queixinhas, lamenta-se, chora.
.
Os papás, arrepiados com a violência sobre as criancinhas de que a televisão fala e na dúvida entre a conta de um eventual psiquiatra e o derreter do ordenado em folias de hipermercado, correm para a escola e espetam duas bofetadas bem dadas no professor «que não tem nada que se armar em paizinho, pois quem sabe do meu filho sou eu».
.
A criancinha cresce.
Cresce e cresce.
Aos 30 anos, ainda será criancinha, continuará a viver na casa dos papás, a levar a gorda fatia do salário deles.
Provavelmente, não terá um emprego.
«Mas ao menos não anda para aí a fazer porcarias».

____________

Não é este um fiel retrato da realidade dos bairros sociais, das escolas em zonas problemáticas, das famílias no fio da navalha?
Pois não, bem sei.
Estou apenas a antecipar-me.
Um dia destes, vão ser os paizinhos a ir parar ao hospital com um pontapé e um murro das criancinhas no olho esquerdo.
E então teremos muitos congressos e debates para nos entretermos.

______________

Miguel Carvalho
Quinta, 1 Março 2007
tags:
escrito no papiro por ACCB às 23:18
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (5) | juntar aos escribas

...

Hoje contaram-me esta!!!



Numa livraria:

- Por favor, queria comprar o livro "Como Ficar Milionário da Noite Para o Dia".

O vendedor foi até ao armazém da loja, voltou com dois livros e começou a embrulhá-los.

- Desculpe, mas eu só pedi um livro!

- Eu sei, o outro é o código penal.

Vendemos sempre os dois juntos.

*
tags:
escrito no papiro por ACCB às 20:30
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (5) | juntar aos escribas

galeria de criminosos

*
-
.
ADRIANA MOLDER
Nasceu em Lisboa em 1975
Vive e trabalha em Lisboa
Estudos de artes visuais
Curso Avançado de Arte Plásticas,
Ar.Co, Lisboa
Licenciatura em Realização Plástica do Espectáculo,
Escola Superior de Teatro e Cinema,
Amadora Prémios
CELPA /
Vieira da Silva Artes Plásticas – Revelação
Exposições individuais (selecção)
2004Copycat, Galeria Presença, Porto
2003Copycat,
Museu de Arte Sacra do Funchal, MadeiraCartola,
Galeria Presença, Porto 2002 Câmara de gelo,
Sintra Museu de Arte Moderna
- Colecção Berardo, Sintra.
Exposições colectivas (selecção) 2004
Em jogo,
Centro de Artes Visuais, Coimbra
2003Prémio CELPA /
Vieira da Silva Artes Plásticas,
Fundação Arpad Szenes – Vieira da Silva, Lisboa
2002Territórios Singulares,
Sintra Museu de Arte Moderna
–Colecção Berardo, Sintra
*********
tags:
escrito no papiro por ACCB às 01:24
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (4) | juntar aos escribas
Domingo, 4 de Março de 2007

A Hora de Todos os Encontros




Ontem disseste que querias encontrar-te comigo.
Perguntei-te pela hora.
Disseste-me pelas 21h00, pelas 17hoo pelas 13hoo ou pelo meio dia.
.

Respondi-te que pelo meio dia.
É a hora de todos os mistérios.
.

Depois disse-te que podia ser pelas 7h00 da manhã.
Quando no inverno o Sol aquece a praia e beija a maré.
Também é uma hora mistica... a da areia e o mar....

Riste-te.

Tu nunca acreditaste que na praia o nascer do Sol é mistico e, que na praia, o Pôr do Sol nos transporta para a eternidade.
.
Nunca acreditaste que o aroma do mar era o teu aroma misturado com o meu e que, o brilho da luz matinal era o meu sorriso só porque tu estavas ali.
.

Tu nunca acreditaste que o Amor é para sempre...
Como a maré... para sempre.....
.
Perguntaste-me a que horas então.
Pelas 7- disse eu.
Não. - disseste - Então pelo meio dia, a hora de todos os encontros.
.
Mais uma vez vamos perder o nascer da maré nos braços do mar...- disse eu.
Riste-te e disseste até amanhã.
.
Mas não foste.
Nem com a maré.
Também não ficaste.
Qualquer coisa a meio do tempo te parou....
.

Disseste-me depois que me querias ver
Que as saudades de mim eram tantas...
Que os meus cabelos negros faziam falta nas tuas mãos e o meu respirar fazia falta aos teus sentidos....
.
Mas eu não fui.
A maré tinha ido...
E eu não fui..
.
Doía-me a alma porque perdera a hora da manhã e também a hora de todos os encontros....
.
Há um misticismo nas horas que tu não entendes....

Um dia, a hora de todos os encontros vai soar...

Nesse dia... haverá um pôr do sol que nos transportará para a eternidade e ficaremos sempre com os teus dedos com saudades do meu cabelo,
e com a luz da manhã sem o meu sorriso,..
porque tu não estás.
.

ACCB- Domingo, Fevereiro 25, 2007
EM RESPOSTA A UM DESAFIO DO ANÓNIMO FEITO A MIM E À NI _ AQUI
tags:
escrito no papiro por ACCB às 00:37
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (20) | juntar aos escribas
Sábado, 3 de Março de 2007

...

ECLIPSE

escrito no papiro por ACCB às 22:46
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (8) | juntar aos escribas
Sexta-feira, 2 de Março de 2007

Qual a Verdade da mentira?


Justiça: «Uma vitória sobre a inércia»
2007-02-26Os resultados alcançados em dois anos de governação na área da Justiça são «absolutamente extraordinários, surpreendentes e motivadores», disse o Primeiro-Ministro em cerimónia pública. José Sócrates destacou que em 2006, pela primeira vez em 10 anos, houve mais processos concluídos do que entrados nos tribunais, representando a diminuição do número de processos pendentes: foi «uma vitória sobre a inércia» e provou que «o monstro [da pendência processual] começou a ceder e a apresentar os primeiros sinais de que é possível ser combatido». No ano passado, o número de processos resolvidos foi 14,3% superior ao ano anterior e houve uma redução de 0,4% nos processos pendentes.
tags:
escrito no papiro por ACCB às 08:23
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas
Quinta-feira, 1 de Março de 2007

Publicidade

Publicidade . Óptima Publicidade! Às Lewis claro!!

tags:
escrito no papiro por ACCB às 00:19
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (6) | juntar aos escribas

De Perfil

Sobre mim

Sou alguém que escreve por gostar de escrever. Quem escreve não pode censurar o que cria e não pode pensar que alguém o fará. Mesmo que o pense não pode deixar que esse limite o condicione. Senão: Nada feito. Como dizia Alves Redol “ A diferença entre um escritor e um aprendiz, ou um medíocre, é que naquele nunca a paixão se faz retórica.” online

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

últimos papiros

Dois Epigramas

Partimos cada dia...........

Dia 11.11.2017

A rectidão das linhas

Para ser Perfeito

Miró

Caminhos

Paris , o pintor de rua e...

O temporal esta noite.......

Para ti

Engolir o Universo

Para o raio que os partis...

Eu sou a tempestade

fotos antigas a 3 de Junh...

Depus a Máscara

Fundamento

Berlim

A cadeira

Empatias

ESPLANADA

Pai

Aquele traço de escrita

Pássaros

Amigo não é nada disso

Filhos.....

Obama

A propósito de Trump

Choveu

Desiderata

8 de janeiro 2014 9 Jane...

Um texto que dá que pensa...

Para Fazer o Retrato de u...

Poema pouco original do m...

Poema de Jenny Londoño

Tons de escrita

Super Lua

No dia 11.11.2016 - 58 an...

10.11.2016

"May be ...... the price ...

Não peças a quem pediu

Noite....

....contemplação....

Como é um alentejano?

Que se dane a regra e o p...

Sílaba súbita

É nos olhos....

Papéis velhos...

Papel em branco.....

. A escrever qualquer coi...

Linhas...

Outros Papiros

licensecreativecommons

Licença Creative Commons
A obra Cleopatramoon de Cleopatramoon Blogue foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Partilha nos Mesmos Termos 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em cleopatramoon.blogs.sapo.pt.

favoritos

Eu sou a tempestade

Desiderata

Choveu

Pássaros

Aquele traço de escrita

Pai

Amanhã Hoje é dia da Cria...

Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

subscrever feeds