Terça-feira, 31 de Janeiro de 2006

...

escrito no papiro por ACCB às 20:45
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (3) | juntar aos escribas
Domingo, 29 de Janeiro de 2006

E Hoje nevou em Lisboa

CANÇÃO
..
...

......................................................................Hoje venho dizer-te que nevou
..........................................no rosto familiar que te esperava.
...............................Não é nada, meu amor, foi um pássaro,
.............................. a casca do tempo que caiu,
....................uma lágrima, um barco, uma palavra.
.
................................................................... .Foi apenas mais um dia que passou
.......................................... entre arcos e arcos de solidão;
............................... a curva dos teus olhos que se fechou,
................................uma gota de orvalho, uma só gota,
...................secretamente morta na tua mão.
.
Eugênio de Andrade
.
.
escrito no papiro por ACCB às 21:50
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas
Sexta-feira, 27 de Janeiro de 2006

...


As mulheres fingem orgasmos?
Os Homens sabem falsear relacionamentos inteiros!
.
disse: - Sharon Stone
Ops!
tags:
escrito no papiro por ACCB às 22:58
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (21) | juntar aos escribas

Auschwitz

Diversas cerimónias em todo o mundo lembraram, nesta sexta-feira (27/01), as atrocidades cometidas pelo regime de Hitler.
Também no Memorial de Sachsenhausen, no Leste alemão (foto), foram depositadas coroas de flores.
Lembrado já há dez anos na Alemanha como o dia da libertação do campo de concentração de Auschwitz,
o dia 27 de Janeiro foi instituído no ano passado pelas Nações Unidas como
dia internacional em memória das vítimas do nazismo.
.
E nós? Lembrámo-nos delas?
.
E das actuais vitimas de outras ditaduras, atrocidades, egoísmos?
Já agora... o que são os Direito Humanos????
.
Estamos no século XXI!!!!
.
.
tags:
escrito no papiro por ACCB às 22:15
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (3) | juntar aos escribas

SEGREDO










Nem o Tempo tem tempo
para sondar as trevas
deste rio correndo

entre a pele e a pele
.
Nem o Tempo tem tempo

nem as trevas dão tréguas
Não descubro o segredo

que o teu corpo segrega

____________________
David Mourão Ferreira
escrito no papiro por ACCB às 20:25
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas

No aniversário de Mozart - 27 de Janeiro 1756 - 250 anos

Leopold Mozart (1756-1791) - 250 anos

.

Para fazer uma obra de arte não basta ter talento;
não basta ter força;
é preciso também viver um grande amor.
.
(Wolfgang Amadeus Mozart)
.
escrito no papiro por ACCB às 18:02
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas

Carta de um Contratado



Eu queria escrever-te uma carta amor
uma carta que dissesse deste anseio de te ver
deste receio de te perder
deste mais que bem querer que sinto
deste mal indefinido que me persegue
desta saudade a que vivo todo entregue...
.
Eu queria escrever-te uma cara amor uma carta de confidências íntimas
uma carta de lembranças de ti de ti dos teus lábios vermelhos como tacula
dos teus cabelos negros como dilôa
dos teus olhos doces como macongue
dos teus seios duros como maboque
do teu andar de onça
e dos teus carinhos que maiores não encontrei por aí...
.
Eu queria escrever-te uma carta amor
que recordasse nossos dias na capôpa nossas noites perdidas no capim
que recordasse a sombra que nos caía dos jambos o luar
que se coava das palmeiras sem fim
que recordasse a loucura da nossa paixão
e a amargura nossa separação...
.
Eu queria escrever-te uma carta amor
que a não lesses sem suspirar
que a escondesses de papai Bombo
que a sonegasses a mamãe Kieza
que a relesses sem a frieza do esquecimento
uma carta que em todo Kilombo outra a ela não tivesse merecimento...
.
Eu queria escrever-te uma carta amor
uma carta que te levasse o vento que passa
uma carta
que os cajus e cafeeiros
que as hienas e palancas
que os jacarés e bagres pudessem entender
para que se o vento a perdesse no caminho
os bichos e plantas compadecidos de nosso pungente sofrer
de canto em canto
de lamento em lamento
de farfalhar em farfalhar
te levasse puras e quentes as palavras ardentes
as palavras magoadas da minha carta
que eu queria escrever-te amor...
.
Eu queria escrever-te uma carta...
Mas ah meu amor, eu não sei compreender por que é,
por que é,
por que é, meu bem que tu não sabes ler e eu
- Oh! Desespero - não sei escrever também!
.
António Jacinto -
escrito no papiro por ACCB às 05:10
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas
Quinta-feira, 26 de Janeiro de 2006

Coisas Simples















Coisas Simples
Um pôr-do-sol iluminado
Um abraço apertado
Teu sorriso
Lindo só pra mim
Passear pela lagoa
Num domingo
Assim à toa
Conversar sem pressa
De chegar ao fim
Apenas coisas simples
Simplesmente boas demais
Apenas coisas simples
Simplesmente boas demais
Um sorvete no verão
Lua nova na paixão
Ler um livro, ver um filme bom
Passear na praia
Viajar no tempo e sonhar.

( Angel Ariel - in Blog respectivo
)

( Achei bonito e tomei a liberdade de o postar aqui.
Na verdade, são as coisas simples que nos fazem felizes.)
escrito no papiro por ACCB às 02:33
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas
Quarta-feira, 25 de Janeiro de 2006

Elle


Oh, elle
Celle
Qui est si belle.
Est toujours la femme d'autrui....
E EU?
*
(Ainda Fernando Pessoa...)
escrito no papiro por ACCB às 23:07
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (9) | juntar aos escribas
Terça-feira, 24 de Janeiro de 2006

Dio Come ti Amo


Dio, Come Ti Amo
Nel cielo passano le nuvole
Che vanno verso il mare,
Sembrano fazzoletti bianchi
Che salutano il nostro amore.
Dio, come ti amo,
Non è possibile,
Avere tra le braccia
Tanta felicità.
Baciare le tue labbra
Che odorano di vento,
Noi due innamorati
Come nessuno al mondo.
Dio, come ti amo,
Mi vien da piangere,
In tutta la mia vita
Non ho provato mai.
Un bene così caro,
Un bene così vero,
Chi può fermare il fiume
Che corre verso il mare.
Le rondini nel cielo
Che vanno verso il sole,
Che può cambiar l'amore
L'amore mio per te.
Dio, come ti amo,
Dio, come ti amo.
Dio, come ti amo,
Dio, come ti amo.
......
Domenico Modugno .
Gigliola Cinquetti - Uma voz Linda!!
!
Se me lembro! Nunca mais esqueci. Lindo de morrer! Ganhou e ganhou muito bem.
Ainda se ouve e ouvirá ...
Ainda hoje a oiço e cada vez com mais satisfação.
Gosto de tudo o que ela canta
Sou romântica.
Nada a fazer
.
escrito no papiro por ACCB às 22:25
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas

Vocês lembram-se da música???(os mais velhos claro!)

( a propósito do confessionário da Morgana)



SENHOR,
A TEUS PÉS EU CONFESSO:
- SENHOR,
MEU AMOR MALTRATEI!
SENHOR,
SE PERDÃO AQUI PEÇO,
NÃO MEREÇO!
SENHOR,
MEU AMOR DESPREZEI
E PEQUEI!
PERDÃO,
NO ENTANTO EU IMPLORO!
SENHOR,
TU, QUE ÉS A REDENÇÃO!
EU SEI QUE A PERDI E QUE A ADORO
E EU CHORO
SENHOR,
AO ROGAR SEU PERDÃO!
SENHOR,
EU CONFESSO O PERJÚRIO DE TANTAS PROMESSAS!
SENHOR,
EU ERREI MAS NA VIDA
ENCONTREI A LIÇÃO!
SENHOR!
EU T' IMPLORO, SENHOR, Ó MEU DEUS:
NÃO T' ESQUEÇAS DA MINHA ORAÇÃO!
SENHOR,
Ó BONDADE INFINITA,
DAI-ME O SEU PERDÃO!
AMOR
POR AMOR EU NA VIDA JAMAIS ENCONTRARA!
É TARDE!
CAMINHO PELA VIDA PERDIDO NA DOR!
SENHOR,
ESTE AMOR É MAIS PURO QUE A JÓIA
MAIS RARA,
QUE O MAIS PURO AMOR!
SENHOR
SE O AMOR É CASTIGO,
PERDÃO MEU SENHOR!
.
CANÇÃO Nº 1 TÍTULO: ORAÇÃO
INTÉRPRETE: ANTÓNIO CALVÁRIO
MÚSICA: JOÃO NOBRE
LETRA: ROGÉRIO BRACINHA FRANCISCO NICHOLSON
DIR. DE ORQUESTRA: TAVARES BELO
.
E ganhou o 1º Festival da canção
escrito no papiro por ACCB às 14:00
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (5) | juntar aos escribas
Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2006

Antes e Agora


FU SIUAN
Antes tu e eu éramos um só,
como o corpo e a sua sombra;
agora somos tu e eu
como a nuvem que foge após um aguaceiro.
Antes tu e eu éramos
como o som e o seu eco, acordes entre si;
agora somos tu e eu
como as folhas mortas caídas dos ramos.
Antes tu e eu éramos
como o ouro ou a pedra, sem mancha nem fissura;
agora somos tu e eu
como uma estrela extinta ou um esplendor passado.
Fu Siuan
.
***
TRADUÇÃO PEDRO DA SILVEIRA
.
(Século III)
(in «Mesa de Amigos»,
versões de poesia dePedro da Silveira,
Col. Gaivota/46, Drac-Açores,S. Miguel, 1986)
.
.
(agora não pensem que isto tem que ver com o meu estado de espirito.... !)
escrito no papiro por ACCB às 11:26
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (7) | juntar aos escribas
Domingo, 22 de Janeiro de 2006

Mãe Cleopatra ( Uma fera a quem eles chamam borboleta!)

Mãe meu Coração
Eu Gosto Muito de Ti
Minha Mãe
Minha Animação
.
Mãe Minha Flor
Meu Amor
Minha Borboleta Multicolor
.
Por Isso Meus Amigos Mãe Há Só Uma
é a Minha e Mais Nenhuma!
.
(realizado pelos filhos de Cleopatra em 2 Maio de 2004)
( São palavras como estas que nos dão força e alento para avançar todos os dias.
Afinal... somos super para os filhos!
Há que não os desiludir!
A eles NUNCA!)
tags:
escrito no papiro por ACCB às 21:20
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (5) | juntar aos escribas
Sábado, 21 de Janeiro de 2006

Para que serve um Telefone fixo ou um TM?


Alguém quer responder???
Dar ideias????
escrito no papiro por ACCB às 23:13
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (20) | juntar aos escribas
Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2006

O Mistério do "Misterioso" envelope 9

**
.
( ou o Golpe de Sexta Feira 13)
.
Não vou aqui discutir, criticar ou, expor a minha opinião sobre as escutas telefónicas que para mim, não são mais do que uma forma de recolha de prova a utilizar no decurso de uma investigação e não para seu início....
.
Não vou discutir aqui, o que quis o Legislador dizer com o advérbio de tempo "imediatamente".
.
Não vou sequer dizer que a escutas telefónicas são uma ingerência , uma intromissão na nossa vida privada - artigos 32º nº 8 e 34º da Constituição da Républica Portuguesa.
.
Não vou reafirmar aqui que Portugal é uma República Soberana baseada na dignidade da Pessoa Humana - artº 1º da CRP - e que a reserva da intimidade e da vida privada são direitos pessoais constitucionalmente reconhecidos e protegidos.
.
Nem sequer vou dizer que, de acordo com o artº 34º da CRP, sendo proibida toda a ingerência das autoridades públicas na correspondência nas telecomunicações e nos demais meios de comunicação, esta só deverá ter lugar nos casos previstos na lei em matéria de processo criminal.
.
Isto significa apenas que, o legislador entendeu que a intercepção de conversações ou comunicações só poderá ser autorizada por despacho do Juiz quanto a crimes:
a) Puníveis com pena de prisão superior, no seu máximo, a três anos;
b) Relativos ao tráfico de estupefacientes;
c) Relativos a armas, engenhos, matérias explosivas e análogas;
d) De contrabando; ou
e) De injúria, de ameaça, de coacção, de devassa da vida privada e perturbação da paz e sossego, quando cometidos através de telefone;se houver razões para crer que a diligência se revelará de grande interesse para a descoberta da verdade ou para a prova.
2 – (...):
a) Terrorismo, criminalidade violenta ou altamente organizada;
b) Associações criminosas previstas no artigo 299º do Código Penal;
c) Contra a paz e a humanidade previstos no título lll do livro II do Código Penal;
d) Contra a segurança do Estado previstos no capítulo I do título V do livro ll do Código Penal;
e) Produção e tráfico de estupefacientes;
f) Falsificação de moeda ou títulos equiparados a moeda prevista nos artigos 262º, 264º, na parte em que remete para o artigo 262º, e 267º, na parte em que remete para os artigos 262º e 264º, do Código Penal;
g) Abrangidos por convenção sobre segurança da navegação aérea ou marítima.
.
Temos pois um leque curto, mas não em demasia, de crimes que justificam a tal ingerência na vida privada.
E, a certeza de que, a única pessoa que as pode ordenar e autorizar, - O Juiz - deve ponderar entre a necessidade de o fazer e os interesses postos em causa.
.
O que me faz escrever hoje é o caso que se arrasta desde sexta feira e arrastará até à próxima semana.
Algo que a meu ver não tem nada de juridico ou de processual mas sim e, nitidamente de politico.

Como todos sabemos e ainda não esquecemos, na sexta feira dia 13, logo pela manhã as rádios anunciavam em versão vertiginosa que, MAIS personalidades importantes tinham sido escutadas no ambito do processo Casa Pia.

(Podemos chamar-lhe pelo nome, porque não estamos, apesar de ter em causa menores, perante a saga do Harry Potter, em que, existe uma personagem do qual não se pode dizer o nome.)

Na verdade, na ultima sexta-feira dia 13.1.06 - o Presidente da República fez uma comunicação ao país, exigindo a realização de um inquérito urgente e garantindo que seriam extraídas todas as consequências. Jorge Sampaio mostrava-se nos primeiros contactos muito irritado e, não é para menos!

Se eu soubesse pelos média, que o meu número de telefone tinha sido escutado sem mais aquelas, ficaria logo à primeira reacção estupefacta e, depois, solenemente irritada.

E o DR. Jorge Sampaio não é só um Magistrado desta Nação, é o mais alto Magistrado da Nação. E, terá ficado irritadíssimo por ouvir que está incluído o seu nome em escutas feitas no ambito de tal processo, o que é normal em qualquer cidadão mas, já não devia ser ao PR, por se lhe exigir um esclarecimento das coisas em nível superior ao de qualquer cidadão e uma contenção e serenidades públicas superiores também a qualquer cidadão.

Na verdade, se pensarmos serenamente, percebemos que, caso um amigo nosso esteja a ser escutado,... nem precisa ser amigo, alguém que nos liga, tem o nosso telefone... (e tanta gente que o tem, e nem tem nada que ver connosco em termos de costumes ,afinidades etc...), caso esse alguém esteja sob investigação, ligando para nós ou vice versa... ficamos imediatamente com a agradável sensação de que, qualquer suspiro dado ao telefone é cuidadosamente ouvido por um outrem que se interpõe entre nós e o nosso interlocutor.

Digamos que há assim como que um agente infiltrado no canal de comunicação. É assim que funciona o mecanismo das escutas.

Mas o problema não está aqui, nem na pizza que alguém encomendou, nem no cabeleireiro que alguém marcou... o problema está no envelope 9.

O dito envelope, contém ao que diziam os jornais e todos os noticiários histéricos, facturação detalhada, de cerca de cinco meses, dos interlocutores de 207 individualidades, o que agitou a classe política e o país, sempre sedento de confusão.

Mas será que contém?

Será?

E só agora é que os jornais vêm para a rua apregoar: - "Olhó jornal! Olhó Jornal! Ultima hora! Escutas ao PR e ao PGR! E aos mais que acabam em R...."

Ora meus senhores... que jornalismo é este?

E que andam os senhores advogados a fazer desde o início do processo? Acham que eles não tinham dado por isso? Se não deram era porque lhes estava vedado, filtrado...Porque assim o entendeu quem para tanto tinha e tem competência!

E onde ficaram o diabo dos envelopes, nomeadamente o envelope 9 que devia estar fechado num cofre e era onde estava de certeza.

Tenho para mim que isto é como diz o Povo : " Muita parra e pouca Uva!"

Uma campanha de descredibilização do PGR. Nada mais.

Repare-se que está a meses de finalizar o mandato do senhor. Repare-se que estamos a dias das eleições Presidenciais. Repare-se que depois de ser eleito, o novo Presidente entrará em funções cerca de um mês após e, até lá já as cabeças baralharam as opiniões... e o novo PR, seja ele quem for, não vai querer começar a entrar em choque desde logo com o Executivo por causa de um PGR....

Ou estarei a pensar mal?

Parece que, segundo dizem os média, o envelope 9, com 15 ficheiros pequenos e cinco grandes, é onde estão guardadas as listagens referentes ao número da casa de Paulo Pedroso.
Dizem ainda os informadores "informados" que, para além das folhas iniciais de ficheiros de Excel, acessíveis a quem abre o programa e onde só consta efectivamente o número do telefone fixo de ex-deputado socialista, existe outra informação que se encontra filtrada. ( Voilá!)

É então aí que estão “escondidos” todos os registos telefónicos envolvendo individualidades como Jorge Sampaio, Souto Moura, Mária Soares ou Almeida Santos.

Santo Deus!

Não é para descredibilizar a justiça desta vez, mas uma figura com ela relacionada. Não é uma manobra dilatória para o processo porque, esse tem o que tem e o envelope 9 não deixa de conter o que realmente contem, o que impossibilita qualquer manobra processual . É nitidamente para derrubar a figura que é o PGR.

O PGR acabará o mandato?

O PGR ficará renovando-se-lhe o cargo?

Independentemente de todos as falhas que lhe possamos ou não apontar, não é a forma mais elegante, mais leal, mais correcta, mais isenta de o atingir...

E fez o o Sr. Procurador muito bem ao dizer que apenas se "justificaria" após eleições ou, mais precisamente, na próxima segunda feira.

Porque se é para alterar o que quer que seja em termos legislativos quanto a escutas, todos nós sabemos e há muito tempo, que urge alterar, urge definir, urge proteger qualquer um de nós de invasões descabidas e atrevidas à nossa vida privada. Urge defendermo-nos da chamada investigação de rabo sentado. Urge garantir que não somos escutados por "dá cá aquela palha".

E isso vai acontecer e em breve. A alteração vem aí. E então ninguém terá dúvidas e não serão anulados julgamentos que levaram anos a fazer, nem se desprezarão provas recolhidas e apresentadas num contexto fora do imediatamente.

O imediatamente vai passar a estar definido, a ter um rosto, a ser algo de palpável de seguro para todos e, principalmente para quem julga, porque também para quem é julgado e, ainda, para quem investiga e para quem é investigado.

As escutas só serão destruídas após o trânsito, embora o Tribunal Europeu já diga que só o deverão ser após 2 anos, o que a nós nem nos diz nada, porque nos estamos simplesmente nas tintas para o Tribunal Europeu... Afinal nós estamos no tal local incómodo que é a cauda da Europa... e temos o mar logo ali... Distraídos com a linha do horizonte , repetimos os erros vezes sem conta!

O MP e o assistente e o arguido e todos os escutados, vão passar a poder ter acesso às ditas, assim que terminada a fase sujeita a segredo de Justiça...

Mas uma coisa vos garanto:

O tal envelope 9 tem sem dúvida o que o Juiz que ordenou as escutas, as validou e ordenou a respectiva transcrição, achou importante para a investigação. E tudo o mais que tenha é como se não tivesse porque está vedado qualquer acesso.

Porque, embora a lei processual não o exija claramente, o Juiz ouve as escutas antes de as mandar transcrever. O Juiz ouve-as e determina se o indicado pela PJ é ou não importante e deve ser transcrito ou, se algo mais não indicado é importante para a descoberta da verdade. TODA A VERDADE!

E não venham dizer que o Juiz não o faz, que apenas se limita a cegamente, ou surdamente neste caso, mandar transcrever o que a PJ indica.

Não é verdade. São horas a ouvi-las, mas há quem o faça. E enquanto o Juiz não tiver a sua equipe de trabalho e não estiver em tempo real nas escutas e com as escutas, é assim que deve ser.

Por isso o Juiz de Instrução deveria acompanhar a par e passo a investigação e não ser apenas chamado para colocar a impressão digital.

Estranha o país quando alguém se assume como verdadeiro Juiz de Instrução Criminal, mas, é para isso que serve a tal figura da investigação, não apenas para dizer ou despachar de cruz.

O Juiz é o garante de um Estado Democrático. Ainda o é.

E não venha o Miguel Sousa Tavares ( a quem gosto muito de ler o que escreve, menos de ouvir o que diz ) que é necessário que alguém fiscalize quem fiscaliza... Isso seria absolutamente ridículo.

E quanto ao envelope 9, ele não tem mistério nenhum... Ele tem apenas o que um Juiz entendeu que devia ter e nada mais do que isso.

Deixem-se de golpadas politicas e de deslealdades jornalisticas. De histerias colectivas que só demonstram que os problemas sérios ficam por resolver.

Não me interessa se querem atacar o MP ou não... apenas me choca que tentem descredibilizar alguém desta forma espampanante e sem conteúdo e, que todos vão atrás enlouquecidos gritando que querem apurar responsabilidades. Tudo isto é demonstrativo do medo que O PGR, este PGR, provoca em alguns ou em todos.

Pois que a havê-las, as responsabilidades, se apurem na serenidade dos gabinetes, no perfil de Estado de quem o deve ter e conforme se espera e exige que se tenha.

O envelope nº 9 está lá. Com tudo o que deve ter no seu interior e como o deve ter. Não inventemos.

Não tentemos tirar coelhos da cartola..

O envelope... não é uma cartola!Não tem coelhos lá dentro!

E nesta coisa da Politica, quer-se lealdade e sobretudo Transparência quando se toca em qualquer assunto mas e, sobretudo, na pasta da Justiça.


ACCB - 18.1.06
escrito no papiro por ACCB às 19:24
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (19) | juntar aos escribas
Terça-feira, 17 de Janeiro de 2006

Dou alvíssaras a quem adivinhar quem disse!



"A juventude não se conta pelo bilhete de identidade, mas por se ter ou não ideias novas.
Na oposição à minha candidatura ,não há uma única ideia nova e,
por isso,
darei um prémio aos jornalistas que me apresentar uma ideia nova
que tenha surgido com essa candidatura".
*
"Em 1974 e 1975, houve muitos problemas também porque (os empresários) não previram a descolonização".
.
Não resisto a comentar!
************
Senhores empresários!
Estão Vossas Excelências não previram a descolonização? Ou estavam , na altura do 25 de Abril, desfalcados de informação ou andavam distraídos...
Pois "tá" claro!
É certo que a informática apareceu apenas com aquele rapazinho com ar de Woody Allen, mas mais inteligente. No entanto, tenhamos em conta que as bruxas , as videntes e as bolas de cristal, já existiam havia muito tempo e eram uma espécie de Bill Gates (gato para os amigos) -
( tendo em conta que todas as bruxas têm gato! )
.
Ora, Vexas, deveriam por isso ter previsto, antecipadamente a descolonização.
Ou seja, deveriam ter previsto que os nossos militares já não tinham dinheiro para comprar pólvora, quanto mais para fazer a manutenção dos aviões - F 86, Fiat ( não tipo) ,T6, e outros Ts que tais.
.
Deveriam ter adivinhado que aquilo com os apoiantes, que os chamados "turras" tinham, já não ía dar uma para a caixa.
.
Deveriam ter percebido que Angola já não era nossa!.
.
Deveriam ter previsto a chegada desordenada de gente, de pessoas, de famílias que, em debandada, tiveram de regressar ao Portugal dos pequeninos, com uma mão atrás e outra à frente, deixando no passado toda uma vida construída para ninguém.
.
Mas que empresas gerem e administram Vexas?
Não criaram de imediato postos de trabalho.
Não prepararam o país para o enorme número de mão de obra que aí vinha...
Não deram asas à produção, ao investimento, tudo com mão de obra barata, sedenta de ganhar dinheiro, necessitada....
Foi pena os Espanhóis não darem por isso!
.
A culpa... foi vossa!
Afinal, foram vocês que casaram com ela!
E nós sempre à procura do marido da culpa a pensar que ela coitada até morreu solteira!
E vem o comentador supra, e apresenta-nos o....o tal!
Provavelmente ainda vivo.
O comentador e o "tal". Claro!
.
Pois é ! Aqui há gato!
.
Eu não acredito em bruxas... mas que lás ai ai ...Ai ai!
.
E o comentador supra lo sabe mui bien!
Esta é na verdade uma ideia original!!!
.
Não querem adivinhar quem disse que a a juventude não depende do BI???
Quem disse que o marido da culpa são vocês?
.
Quem disse que a campanha da candidatura de oposição (???? - pelos vistos é só uma! E eu a pensar que havia mais candidatos!) não tem ideias originais e que oferece ao Sr. Jornalista que indicar que a mesma tem uma ideia nova, um prémio!?
.
Dou eu, alvíssaras a quem o indicar!! O comentador, claro!
.
Não digo quais alvíssaras... mas se quiserem arriscar... vamos divertir-nos a valer.
.
E não é dificil..
É que agora, já temos o Bill Gates a funcionar a 100%.
Já podemos até prever o resultado das campanhas.
Oferecendo, ou não, prémios e jantares grátis a quem quiser aparecer, o comentador supra, não é dificil de descrever!
RIMA e éVERDADE!
.
.
Em tempo: Ah!... e não se esqueçam.. .
Aqui vai uma dica: - O tipo é jovem! Não olhem é para o BI!
.
.
................
ACCB
17.106
escrito no papiro por ACCB às 12:25
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (14) | juntar aos escribas
Segunda-feira, 16 de Janeiro de 2006

Não












Dá-me o teu olhar.
Hás-de pedir...
E eu dir-te-ei: - Não.

Dá-me a tua boca.
Hás-de implorar ...
E eu, dir-te-ei : - Não.

Dá-me a tua mão hás-de pedir-me
E eu negá- la-ei . - Não!

E um dia quando de mim nada tiveres,
Quando todos os dias sem mim
Acordares e adormeceres

Quando a tua memória
não tiver mais os traços do meu rosto
O som das minhas palavras no teu ouvido
Ou o calor dos meus lábios no teu desejo

perguntar-te-ás:
- Eu alguma vez a amei?
E a saudade, a dor, a perda, dir-te-ão: - Não.

ACCB
15.1.06
escrito no papiro por ACCB às 23:52
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (8) | juntar aos escribas

flashes de um retrato




Sente-se o crepúsculo!
Vê-se o perfil !
Saboreia-se a boca!
Sente-se o sonho !
Acorda-se para a realidade.
___________________________LUSITANO
escrito no papiro por ACCB às 17:44
link do post | Escreva no Papiro | juntar aos escribas

A Insustentável leveza do ser


"Thomas pensava consigo próprio que ir para a cama com uma mulher e dormir com ela são duas paixões não só diferentes como quase contraditórias.
O amor não se manifesta através do desejo de fazer amor
(desejo que se aplica a um número incontável de mulheres),
mas através do desejo de partilhar o sono
(desejo que só se sente por uma única mulher)."

A insustentável leveza do ser, M. Kundera
*
*
( tirado de um comentário postado por Manza)
escrito no papiro por ACCB às 15:53
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas

É Inverno mas eu estou à tua espera

(Inverno - Alentejo)
.
.
Porque não oiço no ar a tua voz
Entre brumas e segredos escondidos
E descubro que o silêncio entre nós
São mil versos de mil cantos escondidos.
.
Porque não vejo no azul-escuro da noite
Nas estrelas esse brilho que é o teu
E procuro a madrugada que me acoite
Num poema que não escrevo mas é meu.
.
Olho o vento que se estende no caminho
E ensaia a tua dança de voar
És gaivota que só chega a fazer ninho
Quando o tempo te dá tempo para amar.
.
Mas também se perde o tempo que se tem
Para gastar só quando chega a Primavera
Veste um fato de saudade amor e vem
Que é Inverno, mas eu estou à tua espera.
.
Helder Moutinho
.
.
( Não sei qual é o titulo deste soneto.
Foi gentilmente cedido a este blog pelo Apache.
Os índios também gostam de poesia pelos vistos!
Mas arrisquei o titulo.
Há momentos da nossa Vida em que é Inverno...
Idades que podem corresponder ao Inverno
Mas No Amor é sempre Verão!)
escrito no papiro por ACCB às 14:08
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (3) | juntar aos escribas

É Tempo


















É Tempo …

Tempo de passar os dedos pelo Tempo.
É tempo de passar os olhos só por mim
Tempo…Tempo de rever o pensamento
Tempo de me lembrar ou esquecer de ti,

Das águas claras, ou azuis, em que invento
O mar imenso, o Sol ou o infinito…enfim…
Do querer eternizar cada momento
De elipse…, Sol ao pôr-se …ou outro aroma assim…

Tempo de apagar ou me perder nos medos
Deste meu querer e não querer,… Do sinto.
Guardar o som de um beijo agarrado aos dedos,

No olhar com que te prendo e não te minto.
É Tempo…de nos perdermos em segredos
Ou deixar o Tempo preso ao infinito.



ACCB ( Janeiro de 2004 / Janeiro de 2006)
escrito no papiro por ACCB às 00:08
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas
Domingo, 15 de Janeiro de 2006

Castelos no ar



Desculpem mas hoje apeteceu-me imitar o Blog da Morgana.
É que hoje não me apetece dizer nada.
Só ouvir.
Só olhar.



Apetece-me ficar à janela...

Olhar e deixar olhar...

Não pensar

Sonhar

escrito no papiro por ACCB às 20:35
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas
Quinta-feira, 12 de Janeiro de 2006

Entrevista a Chico Buarque



TRECHO DE UMA ENTREVISTA DO CHICO BUARQUE, ONDE ELE DEFINIU "SOLIDÃO"
.
.
"Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou
fazer sexo...
Isto é carência!
*
Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes
queridos que não podem mais voltar...
Isto é saudade!
*
Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes. para
realinhar os pensamentos...
Isto é equilíbrio!
*
Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe
compulsoriamente...
Isto é um princípio da natureza!
*
Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado... Isto é circunstância!
*
Solidão é muito mais do que isto...
SOLIDÃO
é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela
nossa alma."

( Enviado por um colega e amigo.
Gostei tanto que acho que vos devo oferecer o texto também )
escrito no papiro por ACCB às 19:49
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (4) | juntar aos escribas
Quarta-feira, 11 de Janeiro de 2006

Cavalo à Solta




















Óleo de Raquel Martins
.

.
Minha laranja amarga e doce
meu poema
feito de gomos de saudade
minha pena
pesada e leve
secreta e pura
minha passagem para o breve breve
instante da loucura.
Minha ousadia
meu galope
minha rédea
meu potro doido
minha chama
minha réstia
de luz intensa
de voz aberta
minha denúncia do que pensa
do que sente a gente certa.
Em ti respiro
em ti eu provo
por ti consigo
esta força que de novo
em ti persigo
em ti percorro
cavalo à solta
pela margem do teu corpo.
Minha alegria
minha amargura
minha coragem de correr contra a ternura.
Por isso digo
canção castigo
amêndoa travo corpo alma amante amigo
por isso canto
por isso digo
alpendre casa cama arca do meu trigo.
Meu desafio
minha aventura
minha coragem de correr contra a ternura.

***
José Carlos Ary dos Santos


escrito no papiro por ACCB às 20:14
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (6) | juntar aos escribas
Terça-feira, 10 de Janeiro de 2006

Estrela da tarde



ERA A TARDE MAIS LONGA DE TODAS AS TARDES
QUE ME ACONTECIA

.
EU ESPERAVA POR TI, TU NÃO VINHAS

TARDAVAS E EU ENTARDECIA
.
ERA TARDE, TÃO TARDE, QUE A BOCA,

TARDANDO-LHE O BEIJO, MORDIA
.
QUANDO À BOCA DA NOITE SURGISTE

NA TARDE TAL ROSA TARDIA

.
QUANDO NÓS NOS OLHÁMOS
TARDÁMOS NO BEIJO
QUE A BOCA PEDIA

.
E NA TARDE FICÁMOS UNIDOS ARDENDO NA LUZ

QUE MORRIA

.
EM NÓS DOIS NESSA TARDE EM QUE TANTO

TARDASTE O SOL AMANHECIA
.
ERA TARDE DE MAIS PARA HAVER OUTRA NOITE,

PARA HAVER OUTRO DIA.
.
MEU AMOR, MEU AMOR
MINHA ESTRELA DA TARDE

QUE O LUAR TE AMANHEÇA E O MEU CORPO TE GUARDE.

.
MEU AMOR, MEU AMOR

EU NÃO TENHO A CERTEZA
SE TU ÉS A ALEGRIA OU SE ÉS A TRISTEZA.

.
MEU AMOR, MEU AMOR
EU NÃO TENHO A CERTEZA.
.
FOI A NOITE MAIS BELA DE TODAS AS NOITES
QUE ME ACONTECERAM

.
DOS NOCTURNOS SILÊNCIOS QUE À NOITE
DE AROMAS E BEIJOS SE ENCHERAM

.
FOI A NOITE EM QUE OS NOSSOS DOIS
CORPOS CANSADOS NÃO ADORMECERAM

.
E DA ESTRADA MAIS LINDA DA NOITE UMA FESTA
DE FOGO FIZERAM.
.
FORAM NOITES E NOITES QUE NUMA SÓ NOITE
NOS ACONTECERAM

.
ERA O DIA DA NOITE DE TODAS AS NOITES
QUE NOS PRECEDERAM

.
ERA A NOITE MAIS CLARA DAQUELES
QUE À NOITE AMANDO SE DERAM

.
E ENTRE OS BRAÇOS DA NOITE DE TANTO
SE AMAREM, VIVENDO MORRERAM.
.
EU NÃO SEI, MEU AMOR, SE O QUE DIGO
É TERNURA, SE É RISO, SE É PRANTO

.
É POR TI QUE ADORMEÇO E ACORDO
E ACORDADO RECORDO NO CANTO

.
ESSA TARDE EM QUE TARDE SURGISTE
DUM TRISTE E PROFUNDO RECANTO

.
ESSA NOITE EM QUE CEDO NASCESTE DESPIDA

DE MÁGOA E DE ESPANTO.
.
MEU AMOR, NUNCA É TARDE NEM CEDO
PARA QUEM SE QUER TANTO!

José Carlos Ary dos Santos

Janeiro

escrito no papiro por ACCB às 15:41
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (11) | juntar aos escribas

Cara Cleopatra.... Comentário do Manza - Correio da manhã - A Maria merece!


Este governo está mesmo a afundar o nosso belo país.
Note-se que os sacrificados são sempre os mesmos, ou seja o POVO, porque os amigos e AMIGAS dos Governantes, (não de PORTUGAL), têm sempre um lugarzinho marcado no dito e estão a ser chamados(as) para ocupar excelentes cargos, tanto cá como lá fora.
.
Veja-se mais um exemplo:
"De acordo Com O Correio da Manhã, de 6 DEZ 05, Maria Monteiro, filha do antigo ministro António Monteiro e que actualmente ocupa o cargo de adjunta do porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros vai para a embaixada portuguesa em Londres.
.
Para que a mudança fosse possível, José Sócrates e o ministro das Finanças descongelaram a título excepcional uma contratação de pessoal especializado.
Segundo o mesmo jornal, o porta-voz Carneiro Jacinto explicou que acontratação de Maria Monteiro já tinha sido decidida antes do anúncio da redução para metade dos conselheiros e adidos das embaixadas.As medidas de contenção avançadas pelo actual governo, nomeadamente o congelamento das progressões na função pública, começam a dar frutos.
.
Os sacrifícios pedidos aos portugueses permitem assegurar a carreira desta jovem de 28 anos que, apesar da idade, já conseguiu, por mérito próprio e com uma carreira construída a pulso, atingir um nível de rendimento mensal superior a 9000 euros.
.
É desta forma que se cala a boca a muita gente que não acredita nas potencialidades do nosso país, os zangados da vida que só sabem criticar a juventude, ponham os olhos nesta miúda.
.
A título de curiosidade, o salário mensal da nossa nova adida de imprensa da embaixada de Londres daria para pagar as progressões de 193 técnicos superiores de 2ª classe, de 290 Técnicos de 2ª classe ou de 290 Assistentes Administrativos ".
.
Como este, certamente existirão centenas, senão, milhares de casos.
Devido a eles, a Segurança Social prevê não ter fundos para pagar aos reformados (POVO) dentro de 10 anos, provavelmente, devido às altas indemnizações e reformas pagas aos ditos AMIGOS E AMIGAS, quando "abandonam" o lugar.
.
( c0mentário feito por Manza no Blog embora tirado do Correio da Manhã e que merece pubicação )
escrito no papiro por ACCB às 14:29
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (1) | juntar aos escribas
Segunda-feira, 9 de Janeiro de 2006

OPS! Nei Di por isso Cára!

Hoje trago-vos um texto diferente.
Daqueles que eu também gosto de escrever...
Daqueles que me dão gozo... e espero que vos dê gozo ler.

Vocês sabem aquela da Brasileirinha que trabalhava num restaurante?
E conhecem o Boris BecKer??
Então juntem um e um e verão que dá dois.

Eu passo a explicar.
Era uma vez.....
Era uma vez uma garotchinha qui trabalhava arduamentchi num réstaurantchi do Centro Comerrciaul do Cólombo.

Conhecem?
.
O Colombo claro. Quem não conhece?
.
Pois bêm. A gárotchinha conhéceu um sinhor muito imporrtantchi qui era de uma pasta imporrtantchi qui não imporrta ágóra dizer qual.
.
Todos sabemos os problemas dos imigrantes que chegam ao nosso país em busca de melhores condições de vida, é verdade.
Todos sabemos que alguns têm qualificações acima da média e muito acima das funções que passam a desempenhar com contratos de que prefiro nem falar e, de contratos só têm o nome.
.
Mas, há que ter em conta que, tal invasão é descontrolada e que as politicas de imigração são deficientes.
Deficientes em todos os aspectos e, principalmente, no que concerne ao selecionar, permitir ou não, a "estadia" de forma rápida e definitiva.
A precariedade do estatuto legal do imigrante provoca, ainda, efeitos perversos nos fluxos migratórios pois, ao ver negado o seu “direito de ir e vir”, o imigrante, acaba por optar, quase sempre, pela sedentarização clandestina e vai ficando sujeito a golpistas e oportunistas .
.
Por seu turno o trabalhador português ou nacional, vê-se confrontado com um mercado de trabalho que lhe faz uma concorrência quase desleal porque, ou aceita as condições impostas ou, é preterido por muito empregador que para aí anda.
.
Ainda mais se não tem a oportunidade de lhe cairem em cima os olhos certos...
Para não falar, nas mãos certas ou em cair em boas mãos.
.
E depois, há situações em que se queria o maior rigor, a maior justiça , a maior igualdade de tratamento e em que, como diz o povo:..."Casa de Ferreiro Espeto de pau!"
Concurso público?
Não precisa!
Pelos vistos não, né?!
.
Entra-se e pronto. Mai nada!
.
E sabem de quem afinal é a culpa disto tudo?
Das reformas feitas na acção executiva!
Era preciso alguém que fosse responsável pelo depósito onde estão os bens que resultam das penhoras e, vai daí, era necessário que, pelo menos, durante 3 anos uma senhora que, antes tratava do sector de aprovisionamento e distribuição de todo um conjunto de 7 restaurantes que, a sociedade de nome " O senhor bacalhau" possuía ou possui, viesse tratar dos aprovisionamentos dos resultados das penhoras que as nossas secções de serviço externo ( nos Tribunais onde as há) levam a cabo todos os dias.
.
O Instituto de Gestão Financeira e Patrimonial da Justiça - IGFPJ - entendeu que só uma brasileira, esta brasileira, estava devidamente qualificada para tal aprovisionamento.
.
Tenhamos em conta que, ao que consta, esta senhora, embora Becker, não percebe nada de ténis. Percebe é de... geografia. Pois, ao que parece, tem uma licenciatura em geografia o que a ajudará por certo e, facilitará a localização dos bens penhorados e armazenados no dito departamento pelo qual ficou responsável.
.
Ora, tendo a ilustre Neidi Becker uma licenciatura em geografia, ( não confundir com jogador de ténis) e, experiência, segundo diz Ernesto Moreira, em gestão logística, pois que era responsável pelo supra referido aprovisionamento dos restaurantes, estará por certo e segundo assim o entederam à altura de tal cargo.
.
( Tenha-se em conta que , um curso básico de gestão logística, e peço perdão por a descrição a seguir ser longa, compreende:
.
120 horas de aula e os seguintes sete módulos:
Gestão Logística, 16H
Funções logísticas.
Organização da Logística na empresa.
Serviço ao cliente.
Sistemas logísticos de resposta rápida.
Análise e gestão de processos.
Matricialidade e carácter cross-functional.
Externalização das funções logísticas.
Custeio logístico.
Reverse Logistics.
Estratégia da Cadeia Logística de Abastecimentos
, 20H
Cadeia Logística: concepção e funcionamento.
Tecnologias de informação enquanto enablers.
Decisões estratégicas/estruturais.
Gestão estratégica da cadeia logística.
Estratégias de colaboração.
Parcerias fornecedor/cliente.
Gestão e planeamento operacional da cadeia logística.
Análise de cadeias logísticas sectoriais.
Cadeias logísticas internacionais.
Gestão de Armazéns, 16H
Sistemas e equipamentos, movimentação e manuseamento de materiais, organização e controle de armazéns. Projecto e concepção de Armazéns.
Layouts.
Embalagem, etiquetagem e codificação de materiais.
Armazéns industriais.
Entrepostos.
Gestão de Transportes, 16H
Modos de transporte de mercadorias.
Legislação.
Sistemas multimodais e intermodais.
Elementos dum sistema de produção de transporte de mercadorias: veículos e pessoal tripulante, manutenção, planificação, despacho e controlo.
Estabelecimento de rotas.
Gestão de frotas: custos, políticas de manutenção e substituição;
externalização do transporte.
Gestão de Compras, 16H
Enquadramento, objectivos e a importância dos processos de Compras.
Estratégia de compras: análise e desenvolvimento de estratégias por categorias, a selecção, negociação e gestão das relações com os fornecedores.
Modelos de gestão dos processos de compras, organização corporativa das compras, processos e sistemas de informação de suporte.
Tecnologias de Informação e Comunicação.
Tecnologias de comunicação e informação usadas em operações logísticas: EDI (Electronic Data Interchange), GIS (Geographic Information Systems), GPS (Global Positioning System), Código de barras e leitura óptica.
A Internet como suporte aos fluxos de informação na cadeia logística.
A utilização dos e-marketplaces, do e-procurement, e de Redes Virtuais Privadas (VPNs) como ferramentas de gestão da cadeia de abastecimentos.
Planeamento Integrado e Gestão de StocksA, 16H
Modelos de gestão de stocks e de materiais.
Planeamento push da distribuição (DRP - Distribution Requirements Planning) e dos materiais (MRP - Materials Requirements Planning), planeamento pull (JIT - Just in Time) dos materiais.
Planeamento integrado da cadeia de abastecimento e sistemas de informação de suporte (ERPs, etc). Planeamento colaborativo e sistemas de informação web enabled de suporte à sincronização da cadeia logística (APSs,etc.)
.
UFFFFFFFFFF.........................
.
Tudo isto e, o tal curso de geografia.... dão por certo à senhora em questão, algumas condições para prover o cargo durante 3 anos. Não sei é se, para guardar e gerir bens penhorados... é precisa tanta ....LOGISTICA!
.
Confesso que não sei nada de gestão logística.
Juro mesmo que não sei.
De geografia ainda percebo!
Era uma aluna acima da média.
.
Mas de gestão logística... Nada!
.
A tal Srª Dª Neidi Becker que não percebe de ténis, tem um diploma em geografia da universidade do Estado de Stª Catarina ( confesso que também não sei se lá ensinam onde fica Portugal, mas devem, porque ela veio cá parar há cinco anos!) mas,... e onde está o diploma da tal Gestão Logistica?!?
E o concurso publico?!...
Não precisa?
Ok!
Então não sai no Diário da Republica!
E é a extinguir quando vagar?
.
É Samba mê irmão. Samba e do bom.
.
Portugal descobriu o Brasil em 1500... e ficou encantado...
.
"E Deus que aqui nos trouxe, alguma razão tinha para isto..." escreveria Pero Vaz de Caminha - escrivão - sobre as praias ensolaradas, florestas de madeira rara, onde os pássaros de plumas brilhantes e coloridas voavam até desaparecerem no infinito, onde as águas eram quentes e transparentes....
.
Diz ainda Pêro Vaz: "Mostraram-lhes um papagaio pardo que o Capitão traz consigo; tomaram-no logo na mão e acenaram para a terra, como se os houvesse ali. "
Eminências pardas!!!
Lá e cá! Ou só pardas provavelmente.
.
Bem fico-me por aqui...
O que é certo é que elas vão aocntecendo e quando me contaram, quando li no jornal, só pensei: Eu Nei Di por isso.
LIVRA!
Qualquer dia tenho como secretário de estado da Justiça um sambista bem disposto e brincalhão, com o bronze lindo das praias de Copa Cabana princesinha do mar...
E vou adorar quando ele me cantar ao ouvido as canções do Jobim......
.
Saravá meu irmão.
.
ACCB
9.1.06
escrito no papiro por ACCB às 22:29
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (12) | juntar aos escribas
Domingo, 8 de Janeiro de 2006

A Cidade e o Rio
















Há um vitral de luz no meu olhar
Um reflexo de voz quente e doce ...
Ao longe o rio percorre um destino sem limite ou definição
E, na neblina transparente que o envolve
Desenha-se um beijo , um gesto ou um desejo

Não há tempo no tempo que passa
E a tarde avança de mãos dadas com o dia
Como se não existisse noite

Como se houvesse fogo no meu cabelo
Ou um desejo louco de te beijar....
Como se a neblina se deixasse apenas existir ao longe a flutuar...

E, subitamente como o bater de asas de uma gaivota que passa,
Como se na voz não houvesse som ou no olhar calor,
A tarde abandona o dia, sem tempo para a neblina ou o rio. ....



---ACCB---
escrito no papiro por ACCB às 22:25
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (4) | juntar aos escribas

Sonata de outono
















Inverno não ainda mas Outono
a sonata que bate no meu peito
poeta distraído cão sem dono
até na própria cama em que me deito.

Acordar é a forma de ter sono
o presente o pretérito imperfeito
mesmo eu de mim próprio me abandono
se o rigor que me devo não respeito.

Morro de pé, mas morro devagar.
A vida é afinal o meu lugar
e só acaba quando eu quiser.

Não me deixo ficar. Não pode ser.
Peço meças ao Sol, ao céu, ao mar
pois viver é também acontecer.


Ary dos Santos

escrito no papiro por ACCB às 01:19
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas
Sábado, 7 de Janeiro de 2006

ORAÇÃO da noite















Olha Meu Deus
Também tenho andado
.........................................demasiado ocupada com os meus pecados.
Suspiro de aborrecimento
e não arranjo um minuto para ti.
..........................................( Como é bom reconhecer que, como aos outros
os pecados me roubam tempo!)

Egoísmo cristão o meu!
........................................Olha Meu Deus,
Desculpa-me a falta de Tempo
Mas ainda não arranjei coragem
.......................................para te confessar a razão
de tal desalinho religioso.

Amen

24.2.81
4.6.05
7.1.06

ACCB

tags:
escrito no papiro por ACCB às 10:59
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (4) | juntar aos escribas

RETRATO











 

 

Estavas de perfil
A luz do crepúsculo enlaçava já a noite...
Havia luminosidade no branco dos teus cabelos
E eu deliciei-me com o retrato

Estavas de perfil
Um perfil moreno cheio de vigor.
Um olhar doce e terno
O gesto do ombro pleno e protector...

Estavas de perfil
Achei lindo o retrato que se me oferecia
Na minha boca o sabor da tua
Nas mãos a procura da alma... ainda nua


Lembro-me que estavas de perfil...
São flashes de sonho, riscos de realidade
Não quero nunca sentir que....

Que não encontro o teu retrato.

ACCB

sinto-me: com vontade de repristinar
tags:
escrito no papiro por ACCB às 00:50
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (10) | juntar aos escribas
Quinta-feira, 5 de Janeiro de 2006

Dentro da caixinha














( Sintra - Toque de Deus)


Tudo me lembra de ti

O piano que dedilha Chopin
O poeta que leio
e revela em cada sílaba o que sente
O aroma a perfume
que se cruza comigo na rua.

O homem que me olha
e sorri com ar de cúmplice
como se me lêsse na alma
que estou apaixonada

a música que toca no rádio do carro
pela manhã
ainda o Sol não teve tempo de aquecer

Tudo me lembra a tua voz
no meu ouvido
quente e doce
que tanto quero
que tanto desejo
que não tenho

Não me sais dos sentidos que castigo o meu!

que alma a minha
que vivência esta

Que lápis traçou este destino?

O sotaque italiano
que ri pela tarde junto ao mar
as mãos dos apaixonados
que se enlaçam
quentes
(julgo eu)
cheias de desejos de beijos
(como eu)

Procuro-te nas lembranças
Em papéis guardados
que ainda não têm tempo
para ter a marca do Tempo

nas fotografias que não são nossas

nas músicas que ouvi
quando tu eras
apenas uma imagem de sobressalto
de sorrisos soltos
de hipóteses sem futuro...
nos aromas que inalei
nessa época

E encontro-te ainda

Quem dera
que o papel tivesse amarelos
do Tempo

as músicas pertencessem ao passado

as fotos fossem velhas
de saudade

e tu
fosses apenas uma página
de um livro que já li
ou de um poema que
Um dia escrevi...

ACCB

escrito no papiro por ACCB às 23:40
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (16) | juntar aos escribas

Condição Diáfana

*



















 
 
 
 
 
 
( Pintura de Alfred Gockel)
.
Olho-te
E vislumbro no teu olhar
A dimensão da nossa loucura

Fizeste dos nossos corpos
Um monumento,
Um grande instrumento de domínio

A estética do desejo
Tornou-se a expressão
Da nossa História

Por dentro de nós corre um rio de lava
que nos aquece e nos embriaga
com os seus vapores

Através das almas,
Com leveza e simplicidade
Desvendaram-se os segredos dos prazeres proibidos

Serenamente
Prendeu-nos
A liberdade do espírito

E só nós sabemos
Do privilégio de vivendo
Nos tornarmos imortais

Assumimos uma condição diáfana
Luminosa, tão luminosa
Que o mistério das trevas se desfez
E apareceu o sonho em todo o seu esplendor!


IMB

( Tomei a liberdade de dar um titulo e uma imagem ao poema que a IMB escreveu. Espero que ela me desculpe o atrevimento)
escrito no papiro por ACCB às 23:20
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (1) | juntar aos escribas

Há bosques dentro da caixinha (mas não são estes)


*
Os bosques têm capacidades mágicas fazem
chorar as crianças quando elas se sentam
os bosques têm esse dom
fazem
as
crianças
sentirem-se
raízes enterradas
.
os bosques são verdes
são verdes verde-escuro verdes-escuro escuros
são escorregadios verde-escorregadio escuro-escorregadio
.
nos bosques fala-se baixinho
.
post sciptum:sentou-se raiz enterrada e tragicamente
gritou gritou muito muito muito
e muito ali ficou no escuro verde do bosque a derreter
*********

Frederico Mira George," Tipografia"
Posted by ar-liquido
escrito no papiro por ACCB às 23:13
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (3) | juntar aos escribas
Quarta-feira, 4 de Janeiro de 2006

Aos militares que regressaram de missão e aos que não regressaram também


escrito no papiro por ACCB às 23:42
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (2) | juntar aos escribas
Segunda-feira, 2 de Janeiro de 2006

Estava dentro da caixinha



 

O Poema



…O poema sabe, o poema conhece-se e, a si próprio, nunca se chama poema, a si próprio nunca se escreve com p, o poema dentro de si é perfume e é fumo, é a exaustão e a liberdade sentida, é tudo o que quero aprender se o que quero aprender é tudo, é o teu olhar e o que imagino dele, é solidão e arrependimento, não é um torrão de terra a cantar hinos e a estender muralhas entre os versos e o mundo, o poema não é a palavra poema porque a palavra poema é uma palavra, o poema é a carne salgada por dentro, é um olhar perdido na noite sobre os telhados na hora em que todos dormem, é a última lembrança de um afogado, é um pesadelo, uma angustia, esperança.
.
O poema não tem estrofes, tem corpo, o poema não tem versos, tem sangue, o poema não se escreve com letras, escreve-se com grãos de areia e beijos, pétalas e momentos, gritos e incertezas, a letra p não é a primeira letra da palavra poema, a palavra poema existe para não ser escrita como eu existo para não ser escrito, para não ser entendido, nem sequer por mim próprio, ainda que o meu sentido esteja em todos os lugares onde sou, o poema sou eu, as tuas mãos nos meus cabelos, o poema é o meu rosto, que não vejo, e que existe porque me olhas, o poema é o teu rosto, eu, eu só sei escrever o seu sentido.

José Luís Peixoto
in: A Criança em Ruínas
escrito no papiro por ACCB às 20:20
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (8) | juntar aos escribas

Cem páginas irónicas


 

 
 
 
"E a ideia de te dar assim todos os meses,
enquanto quiseres,
cem páginas irónicas,
alegres e justas,
nasceu no dia em que pudemos descobrir através da ilusão das aparências,
algumas realidades do nosso tempo.»


Eça de Queiroz, Junho de 1871
*
escrito no papiro por ACCB às 20:03
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (4) | juntar aos escribas

...............Aos homens do meu Blog.

*
*
*
Há mulheres e mulheres.
"As mulheres na cama são todas iguais, uma faz mais aquilo e outra mais aquilo... mas fora da cama é que se vê uma mulher". - disse um dia um homem.
Existem mulheres.
Mas há sempre UMA mulher.
A música de Martinho da Vila é o reflexo disso mesmo, embora
a música tenha acabado por se vulgarizar ou por se "banalizar" com más utilizações.
«»
******
.
 
 
Dacosta


Já tive mulheres de todas as cores
De várias idades de muitos amores
Com umas até certo tempo fiquei
Pra outras apenas um pouco me dei
Já tive mulheres do tipo atrevida
Do tipo acanhada do tipo vivida
Casada carente, solteira feliz
Já tive donzela e até meretriz
Mulheres cabeças e desequilibradas
Mulheres confusas de guerra e de paz
.
Mas nenhuma delas me fez tão feliz como você me faz
.
Procurei em todas as mulheres a felicidade
Mas eu não encontrei e fiquei na saudade
Foi começando bem mas tudo teve um fim
.
Você é o sol da minha vida a minha vontade
Você não é mentira você é verdade
É tudo que um dia eu sonhei pra mim

Martinho da Vila
tags:
escrito no papiro por ACCB às 20:00
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (16) | juntar aos escribas
Domingo, 1 de Janeiro de 2006

Viva como deve o Novo Ano ( ainda na caixinha)


A Vida...

A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios...
Por isso, cante, ria, dance, chore
e viva intensamente cada momento da sua vida......
antes que a cortina se feche
e a peça termine sem aplausos.

(Charles Chaplin )
escrito no papiro por ACCB às 16:19
link do post | Escreva no Papiro | ver papiros (11) | juntar aos escribas

De Perfil

Sobre mim

Sou alguém que escreve por gostar de escrever. Quem escreve não pode censurar o que cria e não pode pensar que alguém o fará. Mesmo que o pense não pode deixar que esse limite o condicione. Senão: Nada feito. Como dizia Alves Redol “ A diferença entre um escritor e um aprendiz, ou um medíocre, é que naquele nunca a paixão se faz retórica.” online

últimos papiros

Empatias

ESPLANADA

Pai

Aquele traço de escrita

Pássaros

Amigo não é nada disso

Filhos.....

Obama

A propósito de Trump

Choveu

Desiderata

8 de janeiro de 2014

Um texto que dá que pensa...

Para Fazer o Retrato de u...

Poema pouco original do m...

Poema de Jenny Londoño

Tons de escrita

Super Lua

No dia 11.11.2016

10.11.2016

"May be ...... the price ...

Não peças a quem pediu

Noite....

....contemplação....

Como é um alentejano?

Que se dane a regra e o p...

Sílaba súbita

É nos olhos....

Papéis velhos...

Papel em branco.....

. A escrever qualquer coi...

Linhas...

Chuva de lua cheia

Inércia

Adeus Meu Amigo

Esta força que ninguém po...

Portugal/França

Dois homens à beira rio

Paris En Colère

Paris Je T'aime

El embrujo de la guitarra...

A Hora de ser livre

O outro lado da rua

Tarkovsky

Bocage

Saramago - 18.6

Se partires, então, escre...

Lopetegui....Lotopegui......

Como o Sol A Pôr-se

Entrega-te ao medo e não ...

papiros em biblioteca

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Março 2016

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Fevereiro 2015

Dezembro 2014

Outubro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outros Papiros

licensecreativecommons

Licença Creative Commons
A obra Cleopatramoon de Cleopatramoon Blogue foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Partilha nos Mesmos Termos 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em cleopatramoon.blogs.sapo.pt.

Outros Papiros

Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30

subscrever feeds